Francisco: “Na capacidade da escuta reside a raiz da paz”

imagesMensagem do Papa Francisco, “Ângelus”, dia 17.07.2016

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

No Evangelho de hoje, o Evangelista Lucas conta, a propósito de Jesus, que, enquanto Ele se punha a caminho de Jerusalém, entra numa aldeia, onde é recebido na casa de duas irmãs, Marta e Maria. Ambas oferecem acolhida ao Senhor, mas de modos diferentes. Maria põe-se sentada aos pés de Jesus, e escuta Sua palavra. Marte, ao invés, se sente atarefada e agitada pelas coisas que tinha que preparar. E a certa altura, ela diz a Jesus: “Senhor, não se importa nada de que minha irmã me deixou sozinha a servir? Diga-lhe que me ajude.” E Jesus lhe responde: “Marta, Marta, você se sobrecarrega e se agita com muitas coisas. Uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada.”

Em seu sobreatarefamento, Maria corre o risco de esquecer – e aí está o problema – corre o risco de esquecer a coisa mais importante: o hóspede, que, no caso, era Jesus. Esquece-se da presença do hóspede. Não se serve nem se acolhe ou se acolhe um hóspede, de qualquer jeito. É preciso sobretudo que seja escutado. Lembrem-se bem desta palavra: escutar. E que o hóspede seja acolhido como pesoa, com sua história, com seu coração rico em sentimentos e pensamentos, de modo que se possa sentir realmente em família. Mas, se você recebe um hóspede em sua casa, e continua a fazer suas tarefas, deixando-o para lá, ficando ele mudo e você também, como se fosse um hóspede de pedra. Hóspede é para ser escutado. Certo é que a resposta que Jesus dá a Marta – de que uma só coisa lhe era necessária – encontra seu pleno significado, refere-se à palavra do próprio Jesus, aquela palavra que nos ilumina e nos sustenta. E sustenta tudo o que somos e o que fazemos. Se vamos orar, por exemplo, diante do crucifixo, e falamos, falamos, falamos… e depois vamos embora, aí não escutamos Jesus, não O deixamos falar ao nosso coração. E s c u t a r! Essa palavra é clara: não se esqueçam.

Não devemos esquecer que a Palavra de Jesus nos ilumina e nos sustenta, e sustenta tudo que somos e que fazemos. Também, não devemos esquecer que, na casa de Marta e Maria, Jesus, antes de ser Senhor e Mestre, é peregrino e hóspede. Portanto, Sua resposta, antes deste primeiro e imediato significado – “Marta, Marta, por que você se sobrecarrega de trabalho pelo hóspede, a ponto de esquecer-se de sua presença – hóspede de pedra?” Para acolhê-Lo não são necessárias muitas coisas. Uma só coisa é necessária: escutá-Lo. Escutar é a palavra. Mostrar-lhe uma atitude fraterna, de ser acolhido em família, não num abrigo provisório.

Assim entendida, a hospitalisdade, que é uma das obras de misericórdia, aparece cojmo uma virtude humana e cristã, uma virtude que, no mundo de hoje, corre o risco de ser descuidada. De fato, têm-se multiplicado os casos de abrigos e hospedagem, mas nem sempre nesses ambientes se pratica uma verdadeira hospitalidade. Organizam-se várias instituições para cuidarem de diversos tipos de doença, de solidão, de marginalização, mas se reduz a probabilidadde para quem é estrangeiro, marginalizado, assim excluído de encontrar alguém disposto a escutá-lo, porque é estrangeiro, refugiado, migrante… escutar aquela história dolorosa… Até mesmo em casa, entre os próprios familiares, pode acontecer que se encontrem mais facilmente serviços e cuidados de vários tipos como escuta e acolhimento.

Hoje, com frequência, vivemos com tanta pressa e de modo frenético, com tantos problemas – alguns dos quais não importantes – que nos falta a capacidade de escuta. Estamos tão continuamente sobrecarregados, e assim não temos tempo para escutar. E eu queria perguntar-lhes, fazer-lhes uma pergunta – e cada qual responda, em seu coração: marido, você tem tempo para escutar sua mulher? E você, mulher, tem tempo para escutar seu marido? E vocês, pais, têm tempo a “perder”, para escutar seus filhos? Ou os seus avós, os anciãos? – “Mas, os velhos dizem sempre as mesmas coisas, são enjoados…” Só que têm necessidade de serem escutados! Escutar! Peço-lhes que aprendam a escutar, e que dediquem mais tempo para isto. Na capacidade da escuta reside a raiz da paz.

Que a Virgem Maria, mãe da escuta e do serviço cuidadoso, nos ensine a sermos acolhedores e hospitaleiros para com nossos irmãos e nossas irmãs.

https://www.youtube.com/watch?v=qXYjs1d1VRU(Do minuto 0:32 ao minuto 9:49)
Trad.: AJFC

Bela expressão de solidariedade da parte do Papa Francisco aos povos indígenas:
https://www.youtube.com/user/vaticani

Deixe uma resposta