A antropologia cultural

Os conhecimentos dessa ciência chamam a nossa atenção para a importância da cultura, esse grande conjunto de realizações de um povo ou de grupos sociais, como o referencial a partir do qual cada membro de um grupo se baseia, retira sua habilidade para pensar, avaliar e discernir valores, e fazer suas opções no cotidiano. Vista dessa maneira, a cultura é um elemento de referência fundamental na construção de nossa identidade pessoal e grupal, interferindo, de forma direta, na definição de quem sou eu, quem somos nós. E é a partir dessa referência, que podemos nos afirmar, nos aceitar e nos amar, para então podermos amar os outros e assumir nossa identidade como pessoa e cidadão. Dessa forma, podemos romper com a dominação e com a exclusão social que, muitas vezes, nos impõem uma identidade negativa ou baseada nos valores de uma outra cultura eu não respeita a nossa.

Quando reconhecemos que, mesmo num único país, convivem várias culturas e aprendemos a respeitá-las, descobrimos que a diversidade cultural é boa para todos e verdadeira fonte de riqueza de um povo e de uma nação. Se a cultura for vista como um valor, um recurso que deve ser reconhecido, valorizado, mobilizado e articulado de forma complementar com outros conhecimentos, poderemos ver que este recurso nos permitirá somar, multiplicar nossos potenciais de crescimento e de resolução de nossos problemas sociais e construir uma sociedade mais fraterna e mais justa.

A Antropologia trouxe-me uma visão do universo cultural do ser humano. Eu compreendi que toda cultura, todo indivíduo, tem direito à diferença, e que a cultura responde a um desejo maior do ser humano: o de nutrir a sua identidade. Ser diferente é a razão maior de ser humano. Combater a diferença é um ato de dominação e de empobrecimento da humanidade.

Deixe uma resposta