Realidade

Tem uma frase de Julio Cortázar em A volta ao dia em 80 mundos, que não deixa de vir a mim. É aquela em que o autor diz que a literatura desfaz a falsa objetividade criada pela inteligência raciocinante e pela cotidianidade codificada. Esta observação aparece  dentro de um capítulo intitulado “Do sentimento de não estar totalmente.” Muitas vezes tenho meditado sobre isto, e tenho certeza de que continuarei a fazê-lo por muito tempo. Não é uma citação textual, mas é o que o autor me diz. É como se fosse se abrindo uma possibilidade de contato real com o que está aqui, não com o que aprendi a pensar que está aqui. Esse contato é a chave, pode ser a solução. O verdadeiro encontro com a realidade, não com a réplica arquivada na memória.

Deixe uma resposta