Presente

marTenho-me visto –e ainda estou– às voltas com duas sensações prazerosas, nestes dias. Uma oriunda do meu novo livro, (Libertatura) que volta a mim como um oceano que retorna a si mesmo.
Outra, derivada de um quadro azul e amarelo, com uma casa e um álamo sob o céu, que ainda pintarei de novo. Uma e outra sensação, são como os dois lados de uma onda que vai e vem.
Vai e vem de lá para cá e de cá para lá. E neste ir e vir, o aqui e agora, o presente unificado em que vivo cada vez mais, este tempo de beleza e quietude que me contém.
Um tempo detido em que me encontro a me alimentar da beleza de estar vivo e ter superado o que me tocou superar. Dores que me fizeram forte, me tornaram sólido e firme.
Sustentado na terra que acolhe meus passos sob o sol, sob o céu, por aquele caminho do campo beirado de álamos e de uma casa em que nasci e na qual vivo para sempre feliz.

Deixe uma resposta