Por que persistir?

Muitas vezes me pergunto que razões me movem a insistir neste espaço. Não são poucas. Acredito nos esforços a longo prazo. A resistência que se nutre da expectativa de uma vida melhor. Mais justa e amorosa.

Acredito no trabalho colaborativo. Na soma das diferenças. Na síntese do diverso. Na pluralidade que nos enriquece. Na nossa multiplicidade interior que nos resgata da uniformidade. A luta pela preservação da minha própria identidade é a bússola que direciona todos meus passos. Por isso insisto.

Aqui se veiculam ações e visões de mundo que potenciam a esperança. Não somos um movimento de massa. Somos uma iniciativa que valoriza a arte, a poesia, a educação.

A construção coletiva que dá significado ao existir. Por isso resisto. Sem reflexão, sem apropriação da história pessoal, seriamos meros objetos manipuláveis.

Humanização dá trabalho. É um trabalho prazeroso. E eu me atrevo a dizer que é inevitável. A alternativa seria a robotização, a alienação, a perda da vida. A morte em vida. Não há alternativa. Humanização ou humanização.

Deixe uma resposta