“O grau civilizatório de um país se mede a partir do trato da população LGBT”, diz Secretário Nacional de Segurança Pública

 

Evento que discute segurança para LGBT começou  dia 8 e prossegue até dia 11 no Hotel Guanabara e conta com policiais, autoridades e ativistas de todo o Brasil

“Pela Defesa da Dignidade Humana”. Este é o tema do II Seminário de Segurança Pública para LGBT que ocorre na cidade do Rio até a próxima quinta-feira (11). O objetivo do evento é promover um diálogo entre o poder público, especialmente no âmbito da segurança, com a sociedade civil organizada a fim de produzir políticas públicas que promovam a cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

“Este evento, promovido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública já pode ser considerado como um marco histórico e deve ser admirado por assumir uma causa impopular, no meio de tanto ranço de direita que vem contaminando a população brasileira. Devemos sempre ter em mente que a democracia antes de ser um regime da maioria, ela é um regime das minorias”, afirma o Secretário Nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri.

Para o Secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do RJ, Ricardo Henriques , “é preciso que os estados construam a questão dos direitos humanos como referência de sua pauta. Precisamos conjugar a segurança pública e direitos humanos; selar esta parceria”.

SAM_0749

A mesa de abertura contou com a presença de autoridades como o Secretário Municipal de Turismo, Antônio Pedro; o Diretor-adjunto do Departamento de HIV/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Eduardo Barbosa; a Secretária de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Lena Peres; e a Sub-Secretária de Ensino e Programa de Prevenção da Secretaria de Estado de Segurança Pública do RJ, Jéssica Oliveira.

O Superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do RJ, Cláudio Nascimento, que também esteve presente à mesa de abertura entregou o símbolo maior do Movimento LGBT – a bandeira do arco-íris – nas mãos do Secretário Nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri. “É uma honra para o Rio receber, pelo segundo ano consecutivo, o Seminário de Segurança Pública para LGBT. O evento confirma que a conjugação política-LGBT-polícia é possível!”, salienta Nascimento.

A solenidade de abertura contou com a participação da travesti Ângela Leclery, interpretando o Hino Nacional e da Big Band 190 da Polícia Militar do RJ. Alguns operadores de segurança (guardas municipais, policiais civis e militares) assumiram publicamente (incluindo as corporações) sua homossexualidade. Até o dia 11 serão realizadas mais palestras, mesas e grupos de trabalho sempre cruzando as bases do tripé política-LGBT-polícia, citado pelo Superintendente Cláudio Nascimento.

 O II Seminário de Segurança Pública para LGBT é uma realização da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça e conta com o apoio da Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos do RJ.

Um comentário sobre ““O grau civilizatório de um país se mede a partir do trato da população LGBT”, diz Secretário Nacional de Segurança Pública”

  1. Foi um marco para a retomada da Segurança Publica, no que diz respeito a quebra de paradigmas referentes ao preconceito sofrido pelos LGBT.
    Al,ém de der se criado a rede nacional de operadores de segurança publica LGBT, mais um grande passo historico………

Deixe uma resposta