Escrever é ser

Este exercício cotidiano de vir para a folha é uma experiência que em si mesma, têm muitas significações. Em primeiro lugar, é um exercício de esperança. A edição irá ao ar no dia seguinte. Portanto, há uma parte minha que se projeta para um tempo além deste momento.

Em seguida, recupero também memórias da minha juventude, em que jornais e revistas faziam parte do meu mundo. A vida acontecia muito ali, nessas páginas. Por outro lado, era e é um modo de participar da vida das pessoas que nos leem. Isto tem tido e continua a ter um sentido muito especial para mim.

Sempre senti necessidade de me sentir parte. Fazer parte. Estar incluído. Agora vejo que consegui. Esta revista é um modo muito apropriado para fazer parte do mundo. Percebo como continuo a ter um tom coloquial, como em todas as minhas publicações.

Meus livros e artigos não são diferentes. Consegui ser eu mesmo o tempo todo. Sou cada vez mais o que escrevo.

Um comentário sobre “Escrever é ser”

  1. Escrever ,dialogar, sentir e repartir o mundo…é isso que devemos tentar fazer. Bom quando se consegue. Voce está conseguindo muito bem

Deixe uma resposta