Líder comunitária ameaçada no Afeganistão: “Eu vejo a minha morte, mas ninguém se importa”

Trabalhar fora de casa na Província de Kandahar, sudoeste do Afeganistão, tornou-se quase impossível para mulheres devido às constantes ameaças e intimidações que recebem de insurgentes. Convencida de que será morta caso continue a enfrentar as ameaças, Ranna Tarren, 39 anos de idade, Diretora do Departamento de Assuntos da Mulher de Kandahar e conhecida ativista dos direitos da mulher, decidiu protestar.