Em Rondônia, trabalhadores marcham contra a privatização do Rio Madeira

No dia do leilão da Usina Hidrelétrica (UHE) Santo Antônio, a primeira hidrelétrica do Complexo Rio Madeira, cerca de mil integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Via Campesina, entidades urbanas e da Bolívia fazem uma grande marcha pelas ruas de Porto Velho. O protesto é contra a venda da concessão do aproveitamento energético da hidrelétrica que acontece hoje (10/12) na Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a portas fechadas.

A marcha vai seguir pela Avenida Carlos Gomes, passando pelo Palácio do Governo, e vai até a praça Jonas das Pedrosas, na Avenida 7 de setembro, centro comercial de Porto Velho, onde acontece um grande ato político. Atos como este acontecem em vários estados do país. Em Brasília, cerca de 300 integrantes da Via Campesina ocuparam a ANEEL para impedir a realização do leilão.

Os manifestantes estão concentrados na Igreja Nossa Senhora das Graças, onde cerca de 100 militantes da Via Campesina fizeram um estudo sobre o modelo energético brasileiro e os impactos das grandes hidrelétricas nos últimos dois dias. Ontem, domingo (9), estes militantes saíram nas ruas para conversar com a população. “O povo estava alheio ao debate da energia. Agora, estamos percebendo a adesão e a solidariedade dos trabalhadores e trabalhadoras contra a privatização dos rios”, afirmou Josivaldo Oliveira, da Coordenação Nacional do MAB.

Na disputa pela hidrelétrica de Santo Antônio estão três consórcios formados por corporações transnacionais, como Votorantim, Suez Energy e Endesa. Segundo cálculos do movimento, baseado no preço da energia no mercado internacional, os donos das barragens de Santo Antônio e Jirau vão faturar em média R$ 525.000 mil por hora, com a venda da energia proveniente dessas barragens. O movimento calcula ainda que mais de 10 mil famílias sejam atingidas pelo conjunto das obras do Complexo.

Para impedir que o Rio Madeira seja vendido e a Amazônia saqueada, o Movimento dos Atingidos por Barragens, em parceria com várias entidades e movimentos sociais, lança a campanha “Levante contra a venda do Rio Madeira. Em defesa das comunidades atingidas e da Amazônia”. Materiais como cartazes, folders e panfletos foram feitos para servir de subsídio no debate com a sociedade.

Entenda o caso

1. O que é o “Complexo do Rio Madeira”
O plano prevê a construção das hidrelétricas de Santo Antônio, Jirau, Guajará e Cachoera Esperança; a construção de eclusas, hidrovias e de uma grande linha de transmissão de energia que vai de Porto Velho até São Paulo.

2. Custos totais do Complexo do Rio Madeira
Estima-se que seja necessário R$ 43 bilhões. Somente as duas hidrelétricas (Santo Antônio e Jirau) mais as eclusas custarão R$ 28 bilhões. Rondônia possui uma população em torno de 1,5 milhões de pessoas. Só os R$ 28 bilhões destinados a construção das duas hidrelétricas equivalem a um investimento de R$ 18.500,00 por habitante de Rondônia.

3. Área inundada
Serão inundados mais de 500 quilômetros quadrados de terras (mais de 50 mil hectares).

4. Número de atingidos
As hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau vão afetar mais de 50 povoados (comunidades) e atingirão de forma direta cerca de 5.000 famílias.

5. Capacidade de geração de energia
Somente as hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau terão uma potência de 6.500 MWh. Algo em torno de 4.000 MWh médios de energia firme.

6. Faturamento com a venda da energia gerada nas duas primeiras hidrelétricas
Os donos das barragens vão faturar em média: Por Hora: mais de 500 mil reais; Por dia: mais de 8,5 milhões de reais; Por ano: mais de 03 bilhões de reais.

Mais informações em www.mabnacional.org.br

Informações à imprensa:
Movimento dos Atingidos por Barragens – Setor de Comunicação
Josivaldo – (69) 9218-6755 / Sílvia – (61) 8114-0434
Fone/fax: (61) 3386-1938

_______________________________________
Lembre-se que você tem quatro opções de participação: (I) Um email de cada vez; (II) Resumo diário; (III) Email de compilação; (IV) Sem emails (acesso apenas online). Para cancelar, responda solicitando. [www.consciencia.net/agencia]

Deixe uma resposta