A arte de viver

Vivemos num tempo em que já não podemos pensar que temos muito tempo. Alguns sentimentos vêm de dentro e querem se expressar.

Esta revista têm sido desde o seu começo, um projeto humanizador. Um espaço para o estímulo e o desenvolvimento da pessoa humana.

Uma vez que somos seres comunitários, o nosso crescimento como pessoas envolve sempre uma interação com outras pessoas. A construção de espaços de unidade. Confluência de sentimentos. Descoberta do que temos em comum.

A sociedade em que vivemos estimula e promove a diferenciação competitiva. Não há nada de errado nisto, se é que ao mesmo tempo se estimulam e promovem mecanismos eficazes de construção de vínculos.

Enraizamento. Inserção na história, na cultura, na sociedade. Do contrário, o que acontece é que as pessoas perdem o chão, esquecem de si mesmas, donde vieram, quem são, o que querem, para que vivem.

A vida continua a ser um trajeto brevíssimo. Um intervalo que quando nos damos conta, já passou. A nossa intenção é convidar leitoras e leitores para esta viagem fascinante. Descobrir quem somos!

O que fomos capazes de fazer com as feridas que fomos sofrendo ao longo do caminho. O quanto fomos capazes de construir estratégias de enfrentamento das dificuldades, de forma a nos tornarmos vencedoras/es. O quanto a nossa criatividade nos ajudou a pôr ao nosso favor circunstâncias que poderiam ter nos eliminado.

Um comentário sobre “A arte de viver”

Deixe uma resposta