Tortura nunca mais

Não nos referimos apenas à que é praticada pelo estado, mas também a que se pratica nas empresas, nas escolas, na vida cotidiana.

Forçar a pessoa a trabalhar além dos seus limites, não conceder o direito ao descanso, surrupiar as aposentadorias de quem trabalhou a vida inteira.

Há muitas formas de tortura naturalizadas que é preciso evitar. Algumas delas está na nossa mão. Não necessitamos estar trabalhando o tempo todo.

Podemos e devemos nos conceder momentos de lazer, distração, prazer. A vida não é apenas deveres. Sem prazer a vida se torna uma tortura.

Ler um bom livro, escutar uma boa música, assistir um filme, cantar, passear, caminhar por lugares aprazíveis, são tantas outras formas de praticarmos o amor para conosco mesmos, conosco mesmas.

Ninguém veio aqui para sofrer. Até a sofrença temos a obrigação de pô-la ao nosso favor. O que foi que aprendi com aquelas dores? O que foi que ganhei com aquelas perdas tão doídas?

Deixe uma resposta