Rocinha: tão rápido assim?

O jornalista Antonio Werneck afirma, via twitter: “Da rua 2, próximo da Cachopa, um morador levava até uma hora para chegar ao asfalto. Motos e vans impediam o trânsito. De negativo, temem o aumento da violência na favela. Com o tráfico, os furtos eram mínimos. Sem ele, dormir de porta aberta acabou. É a favela provando do policiamento ruim que sempre marcou a vida dos moradores do asfalto.”

Na noite de segunda-feira (13), menos de 48h após a ocupação, Robson Melo (@robsonmelo10), morador da Rocinha, confirma via twitter a informação: “Nesse momento o efetivo na Rocinha está está bem reduzido, áreas chaves como Rua 1 entre outros não mais possuem policiamento.”

É mole?

Deixe uma resposta