Polícia Federal prende indígena que fiscalizava Raposa Serra do Sol

Raposa continua sendo local de entrada ilegal de não-indígenas e de agressões contra o meio ambiente. A Assessoria Jurídica do Conselho Indígena de Roraima já requereu a liberdade da liderança indígena e aguarda a resposta.

Agência Consciência.Net; clique aqui

Na noite do dia 12 de janeiro (sábado), um grupo de sete indígenas foi detido e levado para Boa Vista pela Polícia Federal para prestar depoimento por fatos acontecidos na terra indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima. As sete pessoas, entre as quais estava o Coordenador Regional, Tuxaua Clodomir Malheiros, realizaram durante todo o dia uma ação de fiscalização no ponto do Lago Caracaranã, situado no interior da terra Raposa Serra do Sol.

Neste lugar, ocorre contínua e sistematicamente a entrada ilegal de pessoas não-índias e agressões contra o meio ambiente, por causa de promoções turísticas que não são aceitas, nem administradas, pelas comunidades indígenas, que têm, por lei, a posse e o usufruto exclusivo dos recursos da área.

A Fiscalização é uma ação comunitária para evitar a entrada de bebida alcoólica na região, conscientizar sobre o meio ambiente, combater o lixo jogado ao longo da estrada e controlar o movimento de veículos e pessoas, fortalecendo assim a garantia do direito à terra, reconhecido na Constituição Federal de 1988 e firmado, neste caso, com a homologação da terra Raposa Serra do Sol em abril de 2005. Conforme os direitos reconhecidos, qualquer atividade que venha ser realizada dentro da terra indígena deve contar com a anuência e participação das comunidades.

No fim da tarde do sábado, dia 12 de janeiro, diversas equipes da Polícia Militar, Polícia Rodoviária e três viaturas da Polícia Federal se deslocaram à região por causa de denúncias apresentadas por pessoas e meios de comunicação ligados a grupos políticos locais e contrários a homologação da terra. O grupo de indígenas que realizava a fiscalização de sua terra já tinha finalizado a atividade, mas dirigiu-se de novo ao local com o objetivo de dialogar e referir as incidências que estavam ocorrendo na área e o objetivo de seu trabalho.

No entanto, a Polícia Federal decidiu levá-los para a capital, Boa Vista, onde prestaram depoimento e foram revistados até altas horas da madrugada. Finalmente, a Polícia decidiu prender “in flagranti” o Coordenador Regional de Raposa, senhor Clodomir Malheiros, por porte de munição, sem arma no momento da detenção.

Na manhã de domingo (13/1), o Tuxaua foi encaminhado para a Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista. A Assessoria Jurídica do CIR já requereu a liberdade da liderança indígena e aguarda a resposta.

A prisão de Clodomir veio a mostrar o quanto os povos indígenas da Raposa Serra do Sol têm sofrido em busca da Justiça, para que possam ter a plenitude de seus direitos constitucionais e o quanto vivem situações que não deveriam passar, evidenciando que os povos indígenas ficam com os prejuizos.

As lideranças indígenas de Roraima estão bastante revoltadas pelos desrespeito com os povos indígenas, onde as comunidades indígenas expõem suas vidas para proteger sua terra e suas famílias e o Governo Federal não cumpre com o Decreto de Homologação.

Conselho Indígena de Roraima – CIR

_______________________________________
Lembre-se que você tem quatro opções de entrega: (I) Um email de cada vez; (II) Resumo diário; (III) Email de compilação; (IV) Sem emails (acesso apenas online). Para cancelar, responda solicitando. [www.consciencia.net]

Deixe uma resposta