Lula se reúne com entidades de direitos animais

Os presentes ao encontro, promovido pela Setorial de Direito Animal do PT, destacaram a relação direta dos direitos animais com proteção ambiental e direitos humanos

No Dia Nacional dos Direitos Animais, 14 de março, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontrou com representantes de entidades que atuam na causa e destacou a importância de esta agenda entrar nos currículos escolares como forma de sensibilizar crianças e jovens.

Os presentes ao encontro, promovido pela Setorial de Direito Animal do PT, destacaram a relação direta dos direitos animais com proteção ambiental e direitos humanos e relataram diferentes formas de violências das quais os animais são vítimas, como matança de jumentos para produção de colágeno e transporte de gado em condições precárias em navios lotados para abate em outros países.

O ex-presidente ressaltou a importância de as questões apresentadas pelos ativistas do direito animal se transformarem em pautas nacionais fortes, capazes de convencer a sociedade a se engajar para que haja mudanças. Ele falou da importância de se colocar o tema no currículo escolar, por exemplo, e afirmou que mudanças de comportamento às vezes não se dão em um mandato, mas em uma geração. Daí a importância de começar pela educação ambiental.

“A gente tem uma caminhada. Um governo, embora não possa fazer tudo, tem que ter uma porta aberta para fazer o que tem que ser feito”, disse destacando também a importância de a sociedade eleger parlamentares que compartilhem as mesmas ideias e alertando, ainda, para a necessidade de relação civilizada entre os entes federados para divisão de responsabilidade sobre as questões ambientais.

Silvana Andrade, da Agência de Notícias do Direito Animal (Anda), disse que o Brasil andou para trás nos últimos anos na questão dos direitos dos animais e que essa causa será decisiva no debate eleitoral no Brasil, assim como será na França. Diferentes representantes reconheceram a credibilidade da liderança de Lula para dar visibilidade à causa e caminhar para a construção de política públicas de proteção. Por defender os animais, a agência, segundo Silvana, tem sido vítima constante ameaças e ataques virtuais.

“A Proteção dos animais é fundamental para nossa existência na terra e para uma sociedade justa, ética e sustentável, mas a causa foi deixada de lado nos últimos anos. Essa é a última década para determinar o futuro da humanidade. Só um líder corajoso, revolucionário e consciente pode salvar o futuro da humanidade. Eu acredito que seja o senhor”, disse a atriz e ativista do direito animal Luísa Mell.

A reunião teve a participação também da apresentadora e ativista de alimentação saudável Bela Gil, do ex-ministro Fernando Haddad, da presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, do presidente da Fundação Perseu Abramo, Aloizio Mercadante e da coordenadora Nacional do Setorial de Direitos Animais do PT, Vanessa Negrini. “Quando a gente viola o direito animal, a gente viola a vida do ser humano”, disse Vanessa.

Participaram também as entidades Terra Verde Viva, Núcleo de Estudos sobre Direitos Animais e Interseccionalidades (NEDAI), Portal Vista-se, Vegano Periférico, Ampara Silvestre, Sociedade Vegetariana Brasileira, União Vegana de Ativismo (UVA), Forum Animal, Animal Equality, Green Kitchen, PETA- (People for the Ethical Treatment of Animals) Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais, Frente de Ações pela Libertação Animal (FALA), Mercy for Animals Brasil (Misericórdia para os animais), Sea Shepherd (Pastor do Mar), The Donkey Sanctuary ( O Santuário dos Burros) e The Good Food Institute (GFI) – O Instituto de Boa Comida.

No encontro, os presentes apresentaram demandas como criação de uma Secretaria Nacional de Direito Animal, a implementação de um programa permanente de esterilização de cães e gatos, a substituição da tração animal por veículos alternativos, a implementação do SUS e do Samu animal, o fim da pesca e da caça esportiva, o estímulo à alimentação vegetariana e o combate ao tráfico de animais silvestres, entre outros.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, destacou a importância de institucionalizar o debate sobre direito animal para que as questões possam se transformar em políticas públicas num eventual novo governo do PT. “Uma sociedade verdadeiramente justa tem que considerar os animais como companheiros de jornada”, afirmou.

Aloízio Mercadante, presidente da Fundação Perseu Abramo, onde o encontro ocorreu, destacou que a construção de uma agenda como essa é um processo histórico e complexo para a qual é necessário um movimento forte da sociedade.

Ao lado de Janja, Lula levou para o encontro as cachorras Paris e Resistência, criadas pelo casal. Adotada pela vigília que acompanhou os 580 dias de prisão de Lula em Curitiba, a cadela Resistência foi dada de presente a Lula e ganhou hoje o certificado de “Embaixadora Canina de Adoção Animal”.

Sobre a Setorial de Direitos Animais

Em 2021, o Partido dos Trabalhadores fundou o seu Setorial de Direitos Animais, para discutir a formulação de políticas públicas por todos os animais, desde os domésticos, silvestres e os utilizados na produção e na ciência.

Desde então, já foram realizadas quase 30 plenárias, mobilizando mais de 2 mil filiados e filiadas e dirigentes do Partido, para discutir políticas públicas que reconheçam a conexão entre os direitos humanos e dos animais na construção de um mundo mais harmônico e sustentável.

Fonte: PT

(15/03/2022)

Deixe uma resposta