Experiência de sucesso de inclusão produtiva rural no Brasil é tema de caderno de estudos

O caderno traz uma série de artigos que explicam de forma detalhada como foram pensadas as políticas de inclusão produtiva rural orientadas para os pequenos produtores em situação de pobreza. Para o diretor do Centro de Excelência contra a Fome da ONU, resultados positivos brasileiros servem como exemplo para outros países do mundo.

O Centro de Excelência contra a Fome participou na última terça-feira (1) do lançamento do “Caderno de Estudos A Inclusão Produtiva Rural no Brasil Sem Miséria: O Desafio da Superação da Pobreza no Campo”, em Brasília. A publicação foi elaborada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome brasileiro (MDS) e pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e conta com o apoio do Centro de Excelência.

Durante o evento, os parceiros anunciaram a tradução da publicação em outros idiomas. A iniciativa atende um dos objetivos da parceria que é o de compartilhar com a comunidade internacional e países em desenvolvimento informações sobre programas sociais brasileiros, para que sirvam de instrumento de inspiração na luta contra a pobreza e a fome.

O caderno traz uma série de artigos que explicam de forma detalhada como foram pensadas as políticas de inclusão produtiva rural orientadas para os pequenos produtores em situação de pobreza, destacando os avanços alcançados e os desafios enfrentados pelo país ao longo da implementação do Plano Brasil sem Miséria, lançado em 2011.

Com uma visão multidimensional da pobreza e um diagnóstico sobre o perfil dos extremamente pobres, o Plano conseguiu, em três anos, ampliar a renda dos agricultores em situação de extrema pobreza em 88%. Considerando o público para a população em situação de pobreza, com renda de até 154 reais per capita, o aumento verificado no mesmo período foi de 74%.

Durante o lançamento da publicação, a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, destacou que o sucesso das políticas voltadas para a população rural do Plano Brasil Sem Miséria se deve à parceria com outros ministérios, como o do Desenvolvimento Agrário, para realizar diagnósticos conjuntos e trabalhar em grande escala.

‘Não há milagres’

“Nós fomos capazes de transformar o Brasil com nossas políticas públicas. Temos a obrigação de continuar inovando”, explicou. “Melhorando as condições de vida e de produção no campo, também é bom para a cidade. O aumento a produção de alimentos também nos apoiaram a sair do Mapa da Fome.”

Ainda na ocasião, o diretor do Centro de Excelência, Daniel Balaban, reforçou que as políticas públicas brasileiras, no campo e na cidade, mostraram resultados visíveis e por isso tem servido de incentivo para outros países do mundo.

“O modelo do Cadastro Único, por exemplo, já é uma referência para vários países”, apontou. Ele lembrou também que, com base no caso do Brasil, a Organização das Nações Unidas criou o Desafio Fome Zero que integra os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável com meta de serem alcançados em 2030. “Não existe milagre. Hoje o Brasil construiu políticas sociais com retornos significativos e elas vieram para serem continuadas, consolidadas”, disse.

Com o apoio do Departamento Internacional de Desenvolvimento do Reino Unido (DFID), o Centro de Excelência e o MDS têm trabalhado com países africanos, dentro de uma abordagem de cooperação Sul-Sul, para fortalecer políticas públicas e programas de combate à fome e à pobreza por meio de apoio técnico usando a experiência brasileira como inspiração para outros governos.

Fonte: Nações Unidas – Brasil
http://nacoesunidas.org/experiencia-de-sucesso-de-inclusao-produtiva-rural-no-brasil-e-tema-de-caderno-de-estudos/

Deixe uma resposta