Evento lança edital de financiamento para projetos de Direitos Humanos e debate participação empresarial

O Fundo Brasil de Direitos Humanos (FBDH), entidade que apóia iniciativas, movimentos e pequenas organizações de Direitos Humanos em todo o país, lança, no próximo dia 13 de dezembro (quinta-feira) o edital de financiamento para novos projetos no ano de 2008. No evento, que acontece às 14h30 no Centro Universitário Maria Antônia e contará com a presença de lideranças dos 23 projetos financiados em 2007, ocorrerá também o debate “Investimento privado em Direitos Humanos no Brasil”.

O debate tem participação do jornalista Fernando Rosseti, Secretario Geral do GIFE (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas); dos empresários Ricardo Young, presidente do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, e Oded Grajew, presidente do Conselho Deliberativo da entidade; e do advogado Valdemar Oliveira (Maneto), representante regional para o Brasil da Fundação Avina.

Em seguida, o premiado cineasta Kiko Goifman apresentará quatro trabalhos relacionados ao tema Direitos Humanos – o documentário Tereza, que aborda os aspectos do cotidiano no sistema prisional (drogas, homossexualismo, morte e a idéia de espaço e tempo), o CD-ROM Valetes em Slow Motion, sobre o mesmo tema, o curta Aurora, sobre velhas prostitutas do centro de São Paulo, e um trailer sobre seu mais novo longa, Atos dos Homens, que trata da chacina na Baixada Fluminense em 2005.

Sobre o Fundo Brasil de Direitos Humanos

O FBDH foi criado em dezembro de 2005 a partir da iniciativa conjunta de quatro grandes defensores dos Direitos Humanos no Brasil – o ex-bispo de São Felix do Araguaia, Dom Pedro Casaldaliga; a escritora feminista Rose Marie Muraro; a ex-dirigente da Comissão de Justiça e Paz da Diocese de São Paulo, Margarida Genevois; e o artista, escritor, poeta e militante do movimento negro, Abdias do Nascimento. Tem como objetivo angariar recursos para o financiamento de projetos de defesa dos Direitos Humanos implementados por organizações de base em seus próprios ambientes sociais, principalmente no interior do país.

Com um orçamento anual inicial de R$ 500 mil, o FBDH apoiou em 2007, seu primeiro ano de existência, 23 projetos ligados a temas como infância e adolescência, raça, gênero, direito indígena, trabalho escravo, violência institucional e sustentabilidade social, ambiental e econômica, entre outros, com recursos que variaram de R$ 10 mil a R$ 25 mil por iniciativa.

Agora, o objetivo do Fundo é ampliar seu alcance. Para tanto, quer buscar junto à iniciativa privada, principalmente empresas socialmente responsáveis, o apoio necessário. Segundo a secretária executiva da entidade, Ana Valéria Araújo, o FBDH oferece aos investidores privados a facilidade e a segurança de um acompanhamento criterioso dos projetos e dos resultados obtidos, garantindo também a seriedade das organizações beneficiadas.

O FBDH (http://www.fundodireitoshumanos.org.br) é dirigido pelo advogado Darci Frigo (Terra de Direitos), o advogado e professor doutor Oscar Vilhena (Conectas Direitos Humanos e Coordenador do Programa de Pós-graduação do curso de Direito da FGV-SP), o economista e doutor em Educação Sergio Haddad (Abong, Ação Educativa e Fórum Social Mundial) e a doutora em Filosofia Sueli Carneiro (Gueledés – Instituto da Mulher Negra).

Serviço:
Lançamento do edital 2008 do FBDH e debate “Investimento privado em Direitos Humanos no Brasil”, com Fernando Rosseti, Ricardo Young, Oded Grajew e Valdemar Oliveira

Data e horário: 13 de dezembro, quinta-feira, às 14h30
Local: Centro Universitário Maria Antonia – Rua Maria Antônia, 294, Vila Buarque, São Paulo
Informações: Maíra Junqueira – (11) 3256 7852 ou email informacoes@fundodireitoshumanos.org.br

_______________________________________
Lembre-se que você tem quatro opções de participação: (I) Um email de cada vez; (II) Resumo diário; (III) Email de compilação; (IV) Sem emails (acesso apenas online). Para cancelar, responda solicitando. [www.consciencia.net/agencia]

Um comentário sobre “Evento lança edital de financiamento para projetos de Direitos Humanos e debate participação empresarial”

  1. Trabalho há 10 anos com o direito humano à alimentacao, atualmente sou presidente do Conselho Municipal de seguranca alimentar de Juiz de Fora. Acho muito boa a iniciativa da fundacao, precisamos pessoas comprometidas que apoiam projetos da sociedade civil em defesa dos direitos humanos. Porém fiquei um pouco assustada quando li que estao ampliando e procurando recursos junto ao setor privado. Explico: Muitas empresas que violam direitos humanos tanto dentro da sua empresa ou na comercializacao dos seu produtos procuram oportunidades como esta em ajudar alguma organizacao de defesa de direitos humanos para se darem o “ar” de social e com isso tampar as barbaridades que estao fazendo. A Nestlé, por exemplo, recebeu um prêmio recentemente pela Carta Capital mas sabe-se que no mundo inteiro ainda morrem milhares de criancas porque nao sao amamentadas e isso em conseqüência da propaganda agressiva da Nestlé que distribui amostras gratis de leite em pó em regioes aonde nao tem água limpa, etc., além disso é uma empresa responsável pela privatizacao e desmineralizacao da água em Sao Lourenco – Brasil. Com qualquer tipo de prêmio ou parceria com fundacoes ou Pastorais eles aumentam sua loby sem melhorar suas práticas!
    Só queria alertar vocês em tomarem muito cuidado na busca destes parceiros no setor privado, no mais acho válido qualquer parceria que seja transparente e limpa e que traga benefício para a comunidade Brasileira.
    Bettina Koyro

Deixe uma resposta