Em Pernambuco, cresce adesão aos protestos por impeachment de Bolsonaro

Por Iyalê Tahyrine

No Recife, o #3J foi a maior manifestação entre as três recentemente convocadas; cidades do interior também tiveram ato

O primeiro sábado do mês de julho foi marcado por diversos atos “Fora, Bolsonaro” por todo Brasil, inclusive em Pernambuco. As manifestações haviam sido convocadas incialmente para o dia 24 de julho, mas as recentes denúncias de corrupção e propina na compra das vacinas antecipou a mobilização.

No Recife, apesar do dia nublado e com algumas pancadas de chuva, milhares de pessoas foram se concentrar na Praça do Derby às 09h da manhã. Foi notadamente o maior ato dentre os três recentemente convocados desde maio deste ano, quando a esquerda voltou às ruas.

A manifestação percorreu as principais vias do centro do Recife até se dispersar na Av. Guararapes. Diversos movimentos populares, sindicatos e organizações estiveram presentes com suas bandeiras, faixas e palavras de ordem.

“Esse ato é muito importante pela dimensão que ele tem nacionalmente, pela temática que é a defesa da democracia no Brasil e acima de tudo de denúncia de todos os equívocos que tem sido conduzidos pelo governo Bolsonaro, não somente no enfrentamento à pandemia mas também na política que vem sendo implementada no Brasil na área econômica, na área social”, afirmou o senador Humberto Costa (PT) que também esteve presente no ato.

A manifestação deste sábado teve como principal lema o “Fora, Bolsonaro”, mas outras importantes pautas foram levadas às ruas, como o repúdio ao PL 490, que aborda a demarcação das terras indígenas; a vacinação para toda a população; a defesa da educação pública e a luta contra a privatização da Petrobrás, com afirmou Luiz Lourenzon, diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e do sindicato dos trabalhadores na indústria do Petróleo de Pernambuco e da Paraíba (SindipetroPE/PB).

“Esse ato é muito importante pela dimensão que ele tem nacionalmente, pela temática que é a defesa da democracia no Brasil e acima de tudo de denúncia de todos os equívocos que tem sido conduzidos pelo governo Bolsonaro, não somente no enfrentamento à pandemia mas também na política que vem sendo implementada no Brasil na área econômica, na área social”, afirmou o senador Humberto Costa (PT) que também esteve presente no ato.

A manifestação deste sábado teve como principal lema o “Fora, Bolsonaro”, mas outras importantes pautas foram levadas às ruas, como o repúdio ao PL 490, que aborda a demarcação das terras indígenas; a vacinação para toda a população; a defesa da educação pública e a luta contra a privatização da Petrobrás, com afirmou Luiz Lourenzon, diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e do sindicato dos trabalhadores na indústria do Petróleo de Pernambuco e da Paraíba (SindipetroPE/PB).

Petrolina

No sertão pernambucano, Petrolina realizou a manifestação com cerca de 500 pessoas de diversos movimentos, partidos e organizações políticas diversas, que marcharam pelas principais vias da cidade pedindo o Fora Bolsonaro, vacina no braço e comida no prato.

A massiva presença de jovens e adolescentes no ato foi notada. Jéssica Albuquerque, militante do Levante Popular da Juventude, ressalta a importância da mobilização da juventude nesta luta “é central pra juventude se organizar e organizar o povo brasileiro e se colocar nas ruas contra todas as medidas de retrocesso e também contra um governo genocida, um governo que quer matar nosso povo”.

Segundo as organizações, com as recentes denúncias de corrupção na compra das vacinas, a insatisfação com o governo federal e a possibilidade do impeachment tem ganhado mais respaldo.

“A gente entende e tem uma expectativa para que esses atos vão acumulando força, acumulando experiência e acumulando a luta para que a gente consiga o objetivo principal, que é a garantia da vacinação, garantir que as pessoas tenham emprego, tenham alimentação e para isso a gente precisa tirar o governo que está aí”, é o que afirma o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (SINTEPE), Robson Nascimento.

A dispersão aconteceu na orla da cidade, onde um muro com os rostos do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) e de Jair Bolsonaro foi derrubado à marretadas pelos manifestantes.

 

Fonte: BdF Pernambuco  (Brasil de Fato)

 

Edição: Vanessa Gonzaga

Deixe uma resposta