Comentário: Obrigatoriedade para comércio de informação, concessionárias e órgãos públicos

“Compreendendo a função social de um jornalista no Brasil, mas sem descartar as mudanças causadas pela convergência das mídias, escrevo esta proposta. Não pretendo repetir os argumentos a favor e contra a obrigatoriedade do diploma. Ambos não dão conta de todos os fatores envolvidos nesta complexa questão. Minha sugestão vai no sentido de regulamentar o exercício da profissão dentro de um contexto definido, apontando a exigência do diploma somente nas mídias concessionárias e em atividades de comércio da informação.” Conheça a proposta do estudante Arthur William, no Observatório da Imprensa, clicando no título.

Deixe uma resposta