Com apoio da OPAS, Ministério da Saúde lança guia de atividade física para a população brasileira

O Ministério da Saúde do Brasil lançou nesta terça-feira (29) o Guia de Atividade Física para a População Brasileira. O material foi produzido em parceria com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Cerca de 70 pesquisadores da área da atividade física e saúde, assim como técnicos do ministério e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) participaram da elaboração. 

A publicação é dividida em oito capítulos e aborda a prática de atividades físicas em diversos contextos, grupos e ciclos de vida. No guia, constam também recomendações sobre a quantidade, a intensidade e os exemplos de atividades aeróbicas, de força e de equilíbrio, além de indicações para um estilo de vida ativo.

Dentre os capítulos estão conteúdos voltados para o público em geral; crianças até 5 anos; crianças e adolescentes até 17 anos; adultos; idosos; gestantes e puérperas; professores de educação física escolar e pessoas com deficiência.

O guia se baseou também nas Diretrizes da OMS para atividade física e comportamento sedentário: num piscar de olhos.

De acordo com o secretário da Secretaria de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde do Brasil, Raphael Câmara, a partir do guia, o Ministério busca implementar diretrizes do serviço de saúde e promover a intersetorialidade da atenção primária em nível municipal. “No contexto da pandemia, a atividade física ajuda a fortalecer a imunidade e nós estamos incentivando a população a se movimentar”, concluiu.

A representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Socorro Gross, lembrou que as Américas possuem a maior taxa de obesidade do mundo. Ao todo, 62,5% dos adultos e 33,6% das crianças e adolescentes na região estão com sobrepeso ou obesidade. “Quatro em cada 10 pessoas não realizam uma atividade física que seja de benefício para a saúde”, afirmou Socorro Gross.

A OPAS e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam pelo menos 150 a 300 minutos de atividade aeróbica moderada a vigorosa por semana para todos os adultos, incluindo quem vive com doenças crônicas ou incapacidade, e uma média de 60 minutos por dia para crianças e adolescentes.

A prática de atividade física regular é fundamental para prevenir e controlar doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e câncer, bem como para diminuir os sintomas de depressão e ansiedade, reduzir o declínio cognitivo, melhorar a memória e exercitar a saúde do cérebro. Estima-se que até 5 milhões de mortes por ano no mundo poderiam ser evitadas se a população global fosse mais ativa.

Fonte: Nações Unidas – Brasil

 

Deixe uma resposta