Coca Cola ataca direito de associação sindical na Colômbia

Agência Adital – O Sindicato Nacional de Trabalhadores da Indústria de Alimentos (Sinaltrainal) e o Tratado de Comércio dos Povos (TCP) – Nossa América chama a comunidade internacional a exigir do governo da Colômbia que proteja o direito de associação e liberdade sindical. Nesse sentido, pede que obrigue a Coca-Cola a parar com a perseguição contra os trabalhadores e contra o Sindicato.

Em dezembro 2007, Sinaltrainal reformou seus Estatutos para que possa estar constituído por Trabalhadores do Sistema Agroalimentar e afins, sob formas diversas de relação trabalhista ou modalidades de trabalho. A Inspetora de Trabalho e Segurança Social de Facatativa aprovou a reforma estatutária por estar de acordo com a lei e não ser contrária à Constituição Política da Colômbia.

No entanto, a Coca Cola apresentou sua oposição à reforma estatutária, acusando a Sinaltrainal de fraude processual e de enganar a autoridade, tratando de converter o legal em ilegal para que Sinaltrainal seja proibido de reformar seus estatutos. O argumento da empresa é que, em 2004, foram revogados os estatutos do Sindicato, alegando que foram despistados, naquele momento, fora dos termos legais, ignorando que um juiz de Tutela da Colômbia definiu que todos os trabalhadores e pessoas têm como Direito fundamental poder associar-se sem importar a forma de trabalho ou contrato.

Para o Sindicato, “Coca Cola quer perpetuar sua política de precarização e de pobreza para os trabalhadores subcontratados que, atualmente, são mais de 80% da mão de obra que explora, não permite que se possam sindicalizar para defender seus direitos e ter um trabalho digno”. Leia a matéria completa aqui.

Deixe uma resposta