A vida não se negocia!

Temos mantido uma postura de resistência diante do golpe de estado de 2016, que destituiu a presidenta da República Dilma Rousseff. O regime inconstitucional que lhe sucedeu e sob o qual foram realizadas eleições nacionais viciadas, conduziu à vitória do atual presidente.

A maneira como vem sendo conduzida a ação do governo federal diante da pandemia é claramente genocida. Há intenção de matar. Obviamente a responsabilidade pelo número alarmante de mortes é devido também à omissão do legislativo e judiciário.

Não podemos assistir passivamente a este estado de coisas. É preciso reagir com clareza e foco. Restabelecer o sistema constitucional, o pleno estado de direito, é imperioso. A população não pode continuar sendo dizimada.

O Brasil precisa sair da letargia. Não se trata de questões ideológicas. Se trata da vida. O bem mais precioso. Cada cidadã e cada cidadão, têm a responsabilidade de cuidar de si e das pessoas com quem entra em contato.

Coletivamente, é necessário prosseguir com a mobilização que conduza à vacinação da totalidade da população. O Brasil têm sido tradicionalmente um país que acolhe migrantes e refugiadas, refugiados. Temos visto este país ressuscitar após a ditadura de 1964. Essa tarefa deve prosseguir. A vida não se negocia! Este país tem memória. É hora de recordar!

Deixe uma resposta