Vamos recuperar o Brasil para a cidadania

Não posso deixar de expressar a minha mais enérgica indignação diante do quadro de total incompetência (para dizer o menos) do atual governo nacional no combate à pandemia.

Não houve uma campanha de vacinação, mas, ao contrário, um encorajamento a não seguir com as normas elementares de cuidados em saúde que poderiam ter evitado muitas mortes.

Num quadro de institucionalidade republicana isto não poderia acontecer. É dever do estado zelar pelo cuidado da população.

O estado viciado pelo patrimonialismo, pelo privatismo e pela total ausência de cumprimento dos compromissos em matéria de Direitos Humanos, mostra a que veio.

Veio para matar de diversas maneiras. Física, moral, culturalmente. Ataques à educação, à ciência, à diversidade. Agressões contínuas a mulheres, LGBTQI+. Este é o Brasil que não queremos.

Junto a minha voz à de entidades e movimentos que hoje exigem a destituição de quem se encontra no cargo de presidente da República.

Deve existir alguma medida que garanta que não se repita o atual quadro de irresponsabilidade e descuido da coisa pública neste país. Uma mínima exigência de qualificação para os cargos públicos.

Uma demonstração de que a pessoa têm capacidade e vocação de serviço, e não de se servir do público. Está tudo virado. Os imorais nos têm acuado.

Em qualquer profissão existem requisitos mínimos para que a pessoa possa se desempenhar no exercício. Como é que no serviço público, no poder público, isto não existe?

Lembro de um triste ex-presidente que enchia a boca a falar de meritocracia. Méritos são coisa que se demonstra com ações, trabalho, atividade construtiva e produtiva.

Não basta alguém se dizer competente. Esse ex-presidente, FHC, hoje parece arrependido de ter apoiado o processo de quebra da ordem institucional que conduziu à atual mortandade.

Tem que provar, não basta falar! É tempo de ação. Vamos recuperar o Brasil para a cidadania.

Deixe uma resposta