Usinas Hidrelétricas aceleram ‘territorialização corporativa’ da Amazônia

Rio MadeiraO Projeto Complexo Madeira, que se articula a outros projetos de interconexão de infra-estrutura no continente, serve de trampolim para impulsionar uma série de novos mega-projetos na Amazônia. A meta é estruturar e potencializar plataformas e corredores de exportação, com a disponibilização não só de energia hidrelétrica e recursos naturais conexos (terras, jazidas minerais, madeira e biodiversidade), mas da plasticidade territorial que se fizer necessária, ou for convidativa, aos conglomerados privados.

Os arranjos empresariais resultantes são concomitantemente eleitos pelo Estado e eletivos das políticas setoriais deste. O novo planejamento territorial em operação na Amazônia paradoxalmente dinamiza nossas vantagens comparativas estáticas, em um processo de acumulação extensiva marcado por especializações regressivas em termos de agregação de valor e inovação tecnológica.

A profunda avaliação da questão das Usinas Hidrelétricas na Amazônia é de Luis Fernando Novoa Garzon, no Correio da Cidadania, e pode ser acessada aqui.

Um comentário sobre “Usinas Hidrelétricas aceleram ‘territorialização corporativa’ da Amazônia”

  1. Pingback: Tweets that mention Agência ConsciênciaNet » Blog Archive » Usinas Hidrelétricas aceleram ‘territorialização corporativa’ da Amazônia -- Topsy.com

Deixe uma resposta