Um provocador na Presidência

Por Fernando Brito
O criminoso que ocupa a presidência da República anuncia a convocação da Força Nacional de Segurança para reprimir os “protestos” que, afora por algumas pessoas pouco conhecidas, não estão convocados por nenhum dos partidos de oposição nem pelos movimentos sociais.
O cheiro de armação enche o ar e está na cara que a marginália miliciana que orbita em torno de Bolsonaro prepara incidentes e provocações, se houver algum tipo de mobilização espontânea que dê cobertura a atos de vandalismo.
Bolsonaro disse que espera que Polícia Militar, talvez como paga ao aumento que recebeu do Governo Federal, faça “seu devido trabalho”.
O que, imagina-se, seja o de distribuir bordoadas e atirar bombas, como lhes pediu, semana passada a “tia do taco de beisebol”, prontamente atendida pela força pública paulista.
Desfilando sem máscara na inauguração de um hospital em Goiás, Bolsonaro também deixa à mostra as intenções clandestinas que tem, desde as planejadas bombas nas latrinas de quartéis para obter aumentos no soldo.
O mais triste é que um magote de generais finge que não vê esta ação, aplaude o chefe e submete as instituições militares em “força de reserva” de um poder policial-miliciano que age à margem da lei e da honra.
Fonte: O Tijolaço
(05-06-2020)

Deixe uma resposta