Um espanto essa nossa democracia

Manchete do Globo de 11 de setembro de 2009:
Transito melhora sem vans
mas ônibus e trens lotam

A foto que acompanha o título é do povão espremido em gigantescas filas para entrar num ônibus e voltar à casa após o dia de trabalho.
É como se aquelas pessoas não fizessem parte do “trânsito”. O Globo comemora a supressão das vans sem considerar que elas empregavam milhares de pessoas. Havia problemas? Seguramente, assim como existem problemas com as empresas de ônibus e trens. Mas daí a resolver a coisa do jeito que fizeram no Rio vai uma grande diferença.
Existem vans que são braços econômicos das chamadas milícias, este fato já foi comprovado pela CPI presidida pelo deputado Marcelo Freixo (PSOL). Uma das recomendações da CPI foi, inclusive, que este serviço fosse legalizado. Acontece que a coisa foi feita sem nenhum critério. Da noite para o dia nada menos que doze mil vans foram impedidas de circular! É impossível que entre esses não existam trabalhadores sérios.
Vale lembrar que muitas pessoas demitidas ao longo das privatizações da década de 1990 investiram tudo o que tinham neste ramo. Era uma forma de manter, mais ou menos, o padrão de vida. Isso foi bastante comum entre funcionários do Banerj, entregue de mão beijada para o Itaú.
O Globo também não considera o sofrimento de quem depende das lotações empresariais. Duvido que o editor chefe deste periódico tenha utilizado, uma única vez que seja, o 996 às 7h, em dia de semana, horário em que motoristas e trocadores, forçados pelos patrões, operam o milagre da multiplicação do espaço com terríveis conseqüências para os usuários desse serviço.
E pra ficar ainda mais clara a posição do Globo frente ao tema das vans, vale citar matéria publicada nesta segunda-feira, 14 de setembro de 2009:
Polícia Militar entra
em estado de alerta


Objetivo é inibir onda de manifestações

A Polícia Militar está em estado de alerta, desde o início da madrugada de hoje, para evitar manifestações de motoristas de vans que não conseguiram permissão para continuar atuando no transporte alternativo na Região Metropolitana. O Detro recebeu informações de que hoje poderão acontecer manifestações em vários pontos do estado. Até o Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi mobilizado e está preparado para o caso de ter de atuar (…)
Ou seja, além de o governo cabralino cercear o direito ao trabalho, não resta ao cidadão nem mesmo o direito de protestar. E o jornal ainda divulga a notícia como se a ameaça de repressão (pelo Bope!!!) fosse a coisa mais natural do mundo… Um espanto essa nossa democracia, não?

4 comentários sobre “Um espanto essa nossa democracia”

  1. Excelente! O objetivo disso, na minha opinião, foi melhorar as condições para aqueles que vão de carro para o trabalho, e virou as costas para aqueles que precisam de transporte público. Na verdade, O Globo enxerga tudo com os olhos de apenas um setor da população: o Rio é analisado pela ótica da Zona Sul, o Brasil é analisado pela ótica da Zona Sul, o mundo é analisado pela ótica da Zona Sul…
    Mas, fazer o que? São estes o público consumidor do jornal mesmo, né?! O problema é a população encarar o que ele publica como verdade, e, infelizmente, é isso oq acontece…

  2. Pingback: Um espanto essa nossa democracia « Revista Vírus Planetário

  3. absurdo total
    e revoltante também.
    estou temendo também pela licitação que a prefeitura quer fazer para a região da zona oeste. lá eles vão proibir as vans e vão exigir a implantação de micronibus. lá muitos motoristas compraram esses veículos em milhares de prestações e são fundamentais para o trânsito daquela região que não tem onibus. em alguns casos é preferível tirar os onibus de circulação. nao podemos esquecer do último acidente ocorrido com um que tinha como destino a zona oeste e que tombou na av. brasil. se fosse van..imagina o alarde que o prefeito teria feito….

Deixe uma resposta