Terapia Comunitária on-line da SES vira disciplina na UnB

Por Érika Bragança*

A partir da parceria que a Terapia Comunitária Integrativa (TCI) da Secretaria de Saúde do DF já tem com a Universidade de Brasília nos encontros virtuais on-line, a Diretoria de Atenção à saúde da comunidade Universitária (Dasu/UnB) decidiu tornar a experiência em disciplinas para os alunos.

Os encontros foram desenvolvidos para ajudar as pessoas nesse processo de vivência na pandemia e enfrentamento da nova realidade. São tratados temas importantes que têm atingido a sociedade em diversos níveis, principalmente, em sua saúde mental, como autocobrança exarcebada, perfeccionismo, relações tóxicas, dificuldade de expressar-se e de administração do tempo, entre outros.

A disciplina de Terapia Comunitária Integrativa e Práticas Integrativas em Saúde serão disponibilizadas para todos os cursos da UnB e aberta à comunidade externa. São três turmas por semana. A estratégia da UnB é oferecer dois créditos aos alunos para terem a vivência nesse novo espaço de cuidado e apoio.

De acordo com Doralice Oliveira Gomes, responsável técnica distrital da SES em TCI, a ação é uma inovação na terapia comunitária e na educação superior, pois oferece apoio nesse momento de adaptação ao ensino virtual. Além disso, as disciplinas afirmam a importância do cuidado emocional para o melhor desenvolvimento da formação acadêmica.

“A disciplina de TCI on-line obteve uma grande adesão pelos universitários, com uma média de 60 matriculados por turma. Os encontros são coordenados por mim, pelas servidoras do CAPS II de Riacho Fundo Cássia Maria e Angélica Raguzzoni, e por três voluntários: Fernando Barbosa, Hélio Marin e Rosângela Lima. Para nós é motivo de muito orgulho fazer parte dessa mudança e contribuir de maneira significativa para a formação de novos profissionais”, afirma.

A Diretoria de Atenção à Saúde da Comunidade Universitária da UnB (Dasu) comemora a parceria e amplitude das ações. A parceria com a Secretaria começou ainda em 2019, quando a Dasu foi instituída para validar ações de promoção e cuidado em saúde no âmbito da UnB e comunidade acadêmica.

De acordo com Larissa Polejack, diretora da área, com a sua criação, foi possível oficializar as iniciativas com a pasta da Saúde e outras já existentes nos campus. As disciplinas foram pensadas desde 2019, levando em conta o momento em que os alunos ficam preocupados com créditos e comprometimentos com a grade horária.

“Conseguimos compor quatro coordenações nessa diretoria para ajudar na promoção à saúde da comunidade. A TCI já acontecia de forma presencial desde 2019 e nesse ano, tínhamos no nosso plano, ampliar as atividades de Práticas Integrativas na UnB e ainda articulamos para virar disciplina com crédito. Com a pandemia, a Doralice fez adaptação para o virtual. Hoje, os estudantes podem participar com um horário protegido e aproveitar isso para o seu bem-estar e promoção”, aponta.

Antes da pandemia, a disciplina já somava a inscrição presencial de 30 alunos e a área chegou a 70 por turma e, agora, possui lista de espera para o retorna do presencial. Na pandemia, a média é de 59 participantes. A perspectiva é manter a parceria e ampliar as práticas, oferecendo mais modalidades.

*Agência Saúde DF

Fonte: Secretaria de Saúde do Distrito Federal

(27-08-2020)

Deixe uma resposta