Solidariedade

Conversa, sexta feira, 18 de setembro 2015

Vivendo esses dias na Europa, percebo como só se fala nos migrantes. Devo escrever sobre isso amanhã porque, de fato, é uma mentira fundamental. As potências ocidentais (EUA e Europa) invadem países, exportam guerras, massacram populações, exploram a África de todos os modos e quando os sobreviventes procuram escapar do inferno vindo para cá, eles fecham a porta. E não percebem que, ao fazer isso, tornam a própria vida menos vida.

Hoje o jornal La Reppublica de Roma trazia o caso da Senhora Maria Carmela. Ela foi descoberta morta em seu apartamento em um bairro residencial de Roma, não um dia ou dois, mas dois anos depois de morta. E os jornalistas conseguiram descobrir que, como do apartamento fechado saia um cheiro insuportável, um vizinho mandou vedar a porta com material que não deixasse passar o cheiro, mas não imaginou que ela poderia ter morrido dentro do apartamento. Parece história de ficção. É difícil imaginar uma pessoa tão sozinha. Que não tenha parentes, se compreende. Mas, nenhum amigo ou amiga… Disseram que tinha sido professora, tinha se aposentado e vivia só… Morreu assim.

Parece a imagem de uma sociedade que morre por se isolar.

Que Deus nos dê a vacina contra esse vírus.

Deixe uma resposta