PT vai recorrer da cassação de vereadora de Santa Catarina que denunciou saudação nazista

A presidenta do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou que o partido irá recorrer da cassação da vereadora Maria Tereza Capra após ela ter denunciado saudação nazista de bolsonaristas que protestavam contra o resultado das eleições em São Miguel do Oeste, em Santa Catarina. Única parlamentar da legenda na Câmara daquela cidade, ela perdeu o cargo nesta sexta-feira (3), por 10 votos a 1. Para os vereadores que votaram por sua cassação, ela teria espalhado “fake news” ao criticar em suas redes sociais, em novembro passado, gesto dos apoiadores do então presidente Jair Bolsonaro (PL) em ato antidemocrático.

“Nossa companheira Maria Tereza Capra, vereadora de São Miguel do Oeste (SC), sofre perseguição política e foi cassada por questionar saudação nazista feita por bolsonaristas. Ameaçada, ela teve que deixar a cidade. PT vai recorrer contra esse absurdo. Todo o nosso apoio, Maria”, declarou Gleisi, por meio de uma rede social.

 

 

 

Saudação nazista em ato na frente de quartel

A manifestação denunciada pela vereadora ocorreu em frente a um quartel do Exército naquela cidade do oeste catarinense em 2 de novembro. Eram os primeiros dias em que bolsonaristas ocupavam esses espaços em várias partes do país mostrando desrespeito pela democracia, negando-se a aceitar a vitória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e pedindo intervenção militar para impedir a posse.

“Nas redes sociais e nos grupos fui chamada de lixo. Além da cassação, ainda tinha gente que pedia minha eliminação. Achavam que nunca seriam flagrados. As pessoas que estão me julgando estiveram em um ato e agradaram alguns, mas não a outros”, disse Maria Tereza ao repórter Camilo Mota, da TVT.

O gesto criticado pela parlamentar, que viralizou nas redes sociais, mostra os participantes, todos de camisa amarela da seleção brasileira de futebol, com os braços estendidos à frente. A interpretação da saudação como nazista foi praticamente um consenso. Exceto os manifestantes e seus simpatizantes, que a atribuíram a um momento “místico”.

Segundo a versão dos golpistas de São Miguel do Oeste, eles teriam estendido os braços em direção aos militares e da bandeira do Brasil “para emanar energias positivas”. O Ministério Público de Santa Catarina endossou a versão, no mínimo fantasiosa, que constou da conclusão do inquérito.

“Nazistas merecem punição”, diz Boulos

O deputado federal Guilherme Boulos protestou contra a cassação. “ABSURDO! Quem merece punição são os nazistas, não quem os denuncia! Toda minha solidariedade à vereadora Maria Tereza Capra, que teve seu mandato cassado arbitrariamente por denunciar Bolsonaristas fazendo saudação nazista nos atos golpistas em São Miguel do Oeste/SC”

 

 

 

 

O PT divulgou nota de solidariedade a Maria Tereza, “vítima de um processo ilegal e ilegítimo de cassação de seu mandato popular” e de um “tribunal de arbítrio, movido pelos que patrocinam atos antidemocráticos golpistas e acobertam células neonazistas ativas no município”.

O partido lembra que a apuração dos inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) mostrará quem são os criminosos de São Miguel D’Oeste, “suas conexões políticas e empresariais, e que vereadores de fato transgrediram o decoro parlamentar nesses meses de golpismo e conspiração”. “Nazismo é crime! Não ficará impune! Maria Tereza, continue contando conosco em sua luta. Ela será vitoriosa!’

Leia a íntegra da nota do PT

O PT manifesta novamente sua total solidariedade à vereadora Maria Tereza Capra, do PT de São Miguel D’Oeste, vítima de um processo ilegal e ilegítimo de cassação de seu mandato popular consumado ontem pela maioria da Câmara Municipal desse Município.

Para esconder os próprios crimes, a direita de São Miguel D’Oeste, SC, vexame internacional pela militância neonazista, cassa a vereadora petista num festival de cinismo e hipocrisia.

Nesse tribunal de arbítrio, movido pelos que patrocinam atos antidemocráticos golpistas e acobertam células neonazistas ativas no município, a vereadora Maria Tereza Capra defendeu com dignidade e coragem seu mandato e sua trajetória de defesa dos direitos humanos e da luta das mulheres e da classe trabalhadora.

Nesta semana, a companheira Maria Tereza foi incluída no programa de proteção de defensores e defensoras de Direitos Humanos em razão das graves ameaças que ela, familiares e assessoria receberam ao longo dos meses que nos separam daquele ultrajante ato de saudação nazista à bandeira brasileira em frente ao Quartel da guarnição do Exército em São Miguel D’Oeste. Foi recebida em quatro ministérios, por parlamentares e dirigentes partidários. Essa decisão não ficará assim!

A apuração dos inquéritos no STF mostrará quem são os criminosos de São Miguel D’Oeste, suas conexões políticas e empresariais, e que vereadores de fato transgrediram o decoro parlamentar nesses meses de golpismo e conspiração. Nazismo é crime! Não ficará impune! Maria Tereza, continue contando conosco em sua luta. Ela será vitoriosa!

Fonte: Brasil de Fato

(06/02/2023)

Deixe uma resposta