Professores e alunos acreditam que cursos comunitários de pré-vestibular têm qualidade

Atividades culturais e debates sobre cidadania influenciam para o vestibular. Média de aprovados dos que cursam o Pré-Vestibular para Negros e Carentes (PVNC), que funciona no Cefet-Maracanã, é aproximadamente de 50%, de acordo com o coordenador, Júlio César Miranda. Leia matéria de Juliana Gonçalves e Leandro Neves, do Notícias da Vila (UERJ). Leia mais clicando aqui.

O acesso às universidades públicas, mesmo com a instituição das políticas de cotas e o REUNI (Reestruturação e expansão das universidades federais) continua restrito. As pessoas com maior dificuldade para ingressar no ensino superior são aquelas de baixa renda, que, geralmente, não desfrutam de um ensino básico e médio de qualidade nas escolas onde estudam. Para auxiliá-las existem grupos que, há mais de 10 anos, vêm desenvolvendo cursos comunitários de pré-vestibular.

De acordo com o que foi apurado, a tarefa de montar um pré-vestibular comunitário não é das mais fáceis. Os grupos não contam com recursos financeiros e, portanto, precisam de voluntários para dar as aulas e ajudar na administração. Além disso, necessitam de um local para instalá-los. Quase sempre os espaços cedidos pertencem a Igrejas, ONGS, universidades e escolas.

A média de aprovados dos que cursam o Pré-Vestibular para Negros e Carentes (PVNC), que funciona no Cefet-Maracanã, é aproximadamente de 50%, de acordo com o coordenador, Júlio César Miranda. Já no curso oferecido nas dependências do campus Maracanã da Uerj pelo Sintuperj (Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Públicas Estaduais no Estado do Rio de Janeiro), os resultados em 2008 foram melhores. Segundo os coordenadores, Alberto Dias Mendes e Maria de Fátima Diniz, ano passado 37 alunos ingressaram em universidades, todas elas públicas.

Julio, Alberto e Maria de Fátima acham que o grande diferencial entre os pré-vestibulares comunitários e privados é a relação mantida entre os alunos.Enquanto nos particulares eles se veem como concorrentes, nos comunitários um tende a ajudar o outro, comportando-se como pertencente a um grupo. Outro ponto que difere é o contato dos vestibulandos com atividades culturais e debates sobre cidadania nos cursos comunitários, que, para os coordenadores do curso do Sintuperj, contribuíram para o aumento no índice de aprovação.

“Muitas pontos positivos posso destacar nesse pré-vestibular (Sintuperj). Os professores são amigos; as aulas são dinâmicas, os alunos tem liberdade para participar; debatemos bastante o cotidiano e os professores não são arcaicos, trazem sempre novas informações”, diz Adriano Corrubio, de 29 anos, aluno que participa pela segunda vez do projeto.

Apesar da aparente qualidade dos cursos, muitos alunos desistem ao longo do ano. Do número inicial de inscritos restam apenas 40%. Segundo coordenador do PVNC, os motivos são inúmeros.Mas, para ele, o motivo maior é o susto que levam após o primeiro exame de qualificação da Uerj ––que acontece no primeiro semestre –– quando muitos não conseguem bons resultados; pois boa parte dos conteúdos ainda não foram ensinados.

As inscrições do pré-vestibular do Sindicato dos Trabalhadores para 2009 já foram encerradas.O curso PVNC, porém, continua com as inscrições abertas até 11 de fevereiro, segundo Júlio. “É necessário que a renda individual do pretendente não ultrapasse R$ 500,00. Temos um processo seletivo onde os alunos preenchem uma ficha com seus dados e respondem a questionário sócio-político; após isto é feita uma entrevista e, por último, uma avaliação de português e outra de matemática. No fim do processo, um grupo de coordenadores analisa cada caso, tendo como critério maior a entrevista e dados econômicos”, afirma.

Os interessados devem entrar no site www.pvnctijuca.cjb.net (matéria de 09/02/2009)

Deixe uma resposta