Por um Brasil mais gente

Faltam poucos dias para que o Brasil decida se continua no rumo do progresso social, da inclusão dos mais pobres, do respeito generalizado ao conjunto da população, não somente dos mais ricos ou se, ao contrário, volta para atrás, para um modelo de marginalização dos mais, de privilégio e exclusão, como fora até os governos de Lula.

O fato de que o presidente Lula termine o seu segundo mandato com índice altíssimo de aprovação da população, é um indício muito forte de que deu certo, de que atingiu, de fato, o modelo oligárquico vigente, o Brasil para uns poucos, consolidando uma expectativa de que o país definitivamente consiga se erguer sobre os seus próprios pés no meio das nações do mundo, como um dos países mais civilizados, porque mais includente.

O governo Lula trabalhou nos seus programas de inclusão social, tão criticados por certa classe média, tirando da linha da pobreza mais de 30.000.000 de pessoas. Isto pode não significar muito para quem come todos os dias, para quem tem emprego garantido e plano de saúde. Mas para quem agora tem a vida como alternativa, é muito, é tudo.

Criticar as bolsas família, as bolsas escola, como se fossem esmolas, é mais do que uma miopia de quem não vê além do seu próprio umbigo. É necedade, é egoísmo, é amoralidade.

Quando a direita perde a cabeça, depois de ter afundado o país ao logo dos dos mandatos do tristemente célebre FHC –para citar o mais imediato, apenas—destruindo o povo na sua saúde, na sua auto-estima, na sua segurança alimentar e educacional, quando a direita perde a cabeça depois de ter perdido o rumo, se é que alguma vez teve outro do que o benéfico de uns poucos, quando a direita perde a cabeça depois de ter perdido a dignidade e a ética, se é que alguma vez teve outra que fosse a da própria ganância às custas do suor dos muitos, quando a direita perde a cabeça, é sinal de que o país vai pra frente, de que o povo brasileiro começa a acordar do longo sono brutalizante a que a oligarquia o submetera. Até domingo, até a vitória de um Brasil mais decente. Um Brasil mais gente.

2 comentários sobre “Por um Brasil mais gente”

  1. Pingback: Tweets that mention Por um Brasil mais gente | Revista Consciência.Net: acesse a sua. -- Topsy.com

  2. ANTES DE TUDO, QUERO DEIXAR CLARO QUE NÃO CONFIO EM NENHUM PARTIDO, MUITO MENOS NO PT QUE AGORA SE ALIA JUSTO AO COLLOR E AO SARNEY.
    MAS O QUE EU REALMENTE GOSTARIA DE SABER, E O QUE NINGUÉM ME RESPONDE, É:
    – PORQUE O LULA, QUE ATÉ EMPRESTA OU DOA O NOSSO SUADO DINHEIRO PARA OUTROS PAÍSES, PRECISOU INDIVIDAR O COITADO DO PRESIDENTE QUE FOR ASSUMIR EM 2014, COM EMPRÉSTIMOS PARA PAGAR O BOLSA FAMÍLIA À PARTIR DE 2015?
    FONTE:http://web.worldbank.org/external/projects/main?pagePK=64312881&piPK=64302848&theSitePK=40941&Projectid=P087713
    SERÁ QUE PODERIA NOS DAR ESTA LUZ ?
    OBRIGADA!

Deixe uma resposta