Os idiotas da objetividade

idiotas.jpg
Os idiotas da objetividade, de Nelson Rodrigues, nunca estiveram tão na moda. São eles que, num debate político pacífico, inteligente e amplo, batem na mesa e, como profetas arrematam: “Corruptos! Fora PT!”.
Como se fossem os paladinos da moral e detentores de suprema e exclusiva sabedoria afirmam que não dá para conversar com petista. Encerram o debate o quanto antes, misturando o ato de ignorar o outro ao medo de serem pegos em contradição. Inflados de certezas, riem da sua cara, na sua cara. Ai de alguém reagir e tentar explicar qualquer coisa que seja. Irão vociferar, mais uma vez, com um grande grito de razão, único e absoluto: “Ladrões!”.
E ontem, eles estavam lá, todos juntos, no FlaxFlu da modernidade, em pleno Pacaembu.
Gritavam juntos, as duas palavras que promoverão a grande guinada por um Brasil melhor. O Fora PT não precisa de mais nada. Só ele basta.
Se você perguntar quem assume, eles dirão fora PT. Se você perguntar por Cunha, eles dirão Fora PT. Se você perguntar por Aécio, eles irão repetir. Ou seja, o futuro, ideias, reformas e soluções virão apenas com este simples grito de ordem. E como se fosse mágica, a cabeça dessa gente imagina que todo esse desejo odioso irá nos projetar, de uma tacada só, a um futuro jamais visto: um Brasil justo e sublime.
Mais uma vez, sou obrigado a me apropriar de outra imbatível frase de Nélson Rodrigues: “Toda unanimidade é burra.”. Berrar “fora PT” é uma unanimidade em determinados lugares. E o pior de tudo é que, uma vez amparados pela massa, essa gente não precisa pensar. Basta gritar com ódio e força.
E o povo que não pensa e opta por ignorar o debate razoável, certamente está fadado a atirar no próprio pé, acelerando o processo de autodestruição.
Amigos, a palavra idiota é agressiva e de certa forma pedante. Não é o meu objetivo ser nenhum dos dois. Mas dessa vez não teve como fugir.
(*)Foto: ebc.com.br

Deixe uma resposta