O Estado burguês é amoral. Forja leis, as descumpre a qualquer hora

Eu me ponho a pensar no que seria

Se um quinto dos crimes cometidos

Pelo ator principal e seu cabido

Se de Dilma tivesse  a autoria

Quanto tempo à frente  ficaria?                                    

Michel Temer inocenta, sem demora

Bolsonaro, há seis lustros, desafora

O que dela fizeram, afinal?

O Estado burguês é amoral

Forja leis, as descumpre, a qualquer hora…

 

Formalmente, os poderes tem limite 

Nenhum deles devia extrapolar

Contrapesos e freios têm lugar

Não impedem, porém, que exorbite

Quem dos três tenha armas, dinamite

Este vai definir quem vai embora

Com apoio certeiro do Capital

O Estado burguês é amoral

Forja leis, as descumpre, a qualquer hora 

 

Abusando de farta verborréia

“Fake news” e de quadros violentos

Ganham espaço, tomam corpo,no momento

Acusando pessoas de atéias

Aos incautos vendendo panacéia

Dissidentes, não tardam a por pra fora

Sua claque irrompendo sem demora 

Seu veneno se expande, agrava o mal

O Estado burguês é amoral

Forja leis, as descumpre, a qualquer hora

 

Não se entende, em qualquer parte do mundo

Como pôde um notório insolente

Ser eleito à função de Presidente

Numa crise que gera moribundos

Escolhendo o terror como transfundo

É mamon o único deus a quem adora

Sendo os pobres suas vítimas, mundo afora

Do fascismo tem sofrendo o vendaval

O Estado burguês é amoral 

Forja leis, as descumpre a qualquer hora 

 

Da História se colha ensinamento

É em vão esperar que tudo mude 

Desde quem o almeja em ataúde

Que os “de baixo” se ponham mais atentos

E na massa se faça bom fermento

Nossa voz que tornemos mais sonora

Nosso esforço somemos, sem demora

Temperemos a terra com bom sal

O Estado burguês é amoral

Forja leis as descumprem a qualquer hora



João Pessoa, 06 de maio de 2020.

Deixe uma resposta