Movimento dos Atingidos por Barragens comemora suspensão do aumento nas contas de luz no Paraná

O MAB afirma que a luta continua pelo cancelamento definitivo do aumento nas contas de luz.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) comemorou nesta segunda-feira (24) à tarde a notícia publicada no Diário Oficial da União, na qual a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) informa a suspensão do aumento das tarifas de energia elétrica no Paraná, para as empresas Copel e Cocel.

Na última quinta-feira (20), a ANEEL havia autorizado um aumento de 14% nos preços das tarifas de energia pela distribuidora Copel, empresa pública que é gerida pelo governo do Estado do Paraná, que entraria em vigor a partir de hoje.

Para o coordenador do MAB, Robson Formica, esta é mais uma vitória do povo. “Esta é uma vitória para toda a população do Paraná que veio com muita pressão popular”, afirma.

Ao lado de outras organizações como a Plataforma Operária e Camponesa para Energia e a Assembleia Popular, o MAB luta há muito tempo pela redução das tarifas de energia, que nos últimos 10 anos subiram muito acima da inflação.

Em 2007 o MAB organizou e estimulou a campanha “O preço da luz é um roubo”, na qual houve a denúncia por todo o país dos preços abusivos na conta de luz.

O aumento das tarifas no Paraná havia sido repudiado e considerado incoerente pelo MAB desde o seu anúncio. No início do ano, a Presidenta Dilma Rousseff havia baixado o preço da energia em 18%, mas em poucos meses a ANEEL já está sinalizando aumentos que podem praticamente anular os descontos anteriores.

Segundo o coordenador do MAB, Robson Formica, o movimento estimulará o povo do Paraná a exigir o cancelamento definitivo do aumento nas tarifas de energia elétrica.

“Vamos lutar para exigir o cancelamento permanente de qualquer aumento na conta de luz. Além disso, iremos puxar lutas por todo o país e mostrar os verdadeiros beneficiados com o atual sistema, como as grandes empresas multinacionais Tractebel-Suez, Duke Energia e a AES e os bancos, que estão tendo um lucro extraordinário há anos”, apontou.

Em São Paulo, por exemplo, a AES (dona da AES Tiete e Eletropaulo), empresa norte-americana, lucrou quase um bilhão de reais, o equivalente a 500 mega senas, no ano passado e todo esse dinheiro foi enviado à matriz da empresa nos Estados Unidos.

Deixe uma resposta