Mensagem do Papa Fancisco – “Angelus”, dia 02/08/2015

O Papa Francisco nos exorta a uma maior confianca na vida eterna e na Providencia divina.

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

Neste Domingo, prossegue a leitura do capítulo 6º do Evangelho de João. Depois da multiplicação dos pães, a multidão se punha a procurar Jesus, e finalmente O encontra perto de Cafarnaum. Ele compreende bem o motivo de tanto entusiasmo em segui-Lo. E Ele revela isto, com clareza: “Vocês me procuram, não porque tenham visto sinais, mas porque comeram aqueles pães e se saciaram.” Na verdade, aquelas pessoas O seguem em razão do pão material que, no dia anterior, tinha aplacado sua fome, quando Jesus operara a multiplicação dos pães. Não haviam compreendido que aqueles pães distribuídos para tanta gente era a expressão do amor do próprio Jesus. Tinham dado mais valor àqueles pães do que ao Doador desses dons.

Diante dessa cegueira espiritual, Jesus mostra a necessidade de irmos além da coisa doada, a necessidade de descobrir, de conhecer o Doador. Deus é o dom e também o próprio Doador. E assim, aquela gente pode encontrar, naquele pão, naquele gesto, Aquele que o dá, que é Deus.

Ele convida a abrir-nos a uma perspectiva que não é apenas a das preocupações do dia-a-dia – do comer, do vestir, do sucesso profissional… Jesus fala de um outro alimento. Fala de um alimento que não se decompõe, e que faz bem buscar e acolher. Ele exorta: “Cuidem de buscar, não o alimento que não dura, mas o alimento que
Permanece para a vida eterna, que o Filho do Homem lhes dará.” Isto é: esforcem-se, busquem a salvação, o encontro com Deus. E com tais palavras, desejo fazê-los entender que, além da fome física, o ser humano traz consigo outra fome – todos nós temos essa fome – uma fome mais importante, que não pode ser saciada com um alimento qualquer. Trata-se de uma fome de vida, fome de eternidade que somente Ele pode saciar, por ser Ele pão da vida.

Jesus não elimina a preocupação com ou a busca do pão de cada dia. Não! Não elimina o cuidado com tudo o que pode fazer a vida avançar, mas Jesus nos lembra que o verdadeiro sentido de nosso existir na terra se acha no final, na eternidade. Está no encontro com Ele, que é dom e doador. Ele nos lembra ainda que a história humana, com seus sofrimentos, suas alegrias, deve ser vista num horizonte de eternidade. Ou seja: no horizonte do encontro definitivo com Ele.

Este encontro ilumina todos os dias de nossa vida. Se penarmos neste encontro, se pensarmos neste grande dom e nos pequenos dons da vida – inclusive os sofrimentos e as preocupações -, seremos iluminados pela esperança deste encontro. “Eu sou o pão da vida. Quem vem a Mim, não terá mais fome, e quem crer em Mim, nunca mais terá sede.” Esta é uma referência à Eucaristia, dom maior, que sacia a alma e o coração.

Encontrar e acolher em nós a Jesus, o pão da vida, dar sentido e esperança ao caminho por vezes tortuoso. Mas, este pão de vida nos é dado, com um compromisso, isto é, que possamos, por nossa vez, saciar a fome material e espiritual dos nossos irmãos, anunciando o Evangelho por toda a parte. Pelo testemunho do nosso compromisso fraterno e solidário para com o próximo, é que tornamos presente o a Cristo e o Seu amor no meio dos seres humanos.

Que a Virgem Santa nos mantenha na busca e no seguimento do seu filho Jesus, o verdadeiro pão, o pão vivo, que não se decompõe e que dura toda a vida eterna.
https://www.youtube.com/watch?v=E-Bgmy6Ksxo
(Do minuto 01:36 ao minuto )
Trad.: AJFC

Deixe uma resposta