Mais de 3.000 casas de Angra dos Reis estão em área de risco, diz Cabral

Agência Brasil

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), afirmou neste sábado que pelo menos 3.000 casas de Angra dos Reis (RJ) estão em áreas de risco. Ele esteve pela manhã no município, onde prestou solidariedade aos parentes das vítimas dos deslizamentos de terra causados pelas fortes chuvas que atingiram a região.

Cabral disse que o Estado está à disposição da Prefeitura de Angra dos Reis e criticou a construção de moradias em áreas de risco. “No fundo, essas pessoas correm risco de vida.”

Até a tarde deste sábado, 35 corpos de vitimas dos deslizamentos. Desses, 22 na região da pousada Sankay, na praia do Bananal, na Ilha Grande, e 13 no morro da Carioca, no centro da cidade. Com isso, sobe para 69 as mortes causadas pelas chuvas desde a última quarta-feira (30) no país.

O Estado do Rio é o que tem o maior número de mortes provocadas pelas chuvas, com 57 mortes registradas, sendo 35 apenas em Angra. Outras nove mortes aconteceram nas cidades de Guararema e Cunha, ambas em São Paulo; e outras três em Juiz de Fora (MG).

O governador disse ainda que hoje pela manhã conversou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está de férias na praia de Inema, na Base Naval de Aratu, em Salvador (BA). Segundo Cabral, Lula quis saber como estavam os trabalhos de resgate às vítimas das chuvas no Estado.

Cabral contou ao presidente que sobrevoou a região de Ilha Grande e que já reforçou o número de bombeiros na região. O governador disse que Lula fez questão de expressar a sua solidariedade durante o telefonema, que durou cerca de dez minutos. Cabral afirmou que ficará em contato durante todo o dia com o presidente.

Deixe uma resposta