Isso é uma vergonha

"Que merda! Dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras... O mais baixo na escala do trabalho" (Boris Casoy)
"Que merda! Dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras... O mais baixo na escala do trabalho" (Boris Casoy)

“Que merda! Dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras… O mais baixo na escala do trabalho” (Boris Casoy)

.
A classe de trabalhadores mais arrogante e reacionária que conheço é a classe dos jornalistas. Digo isto com conhecimento de causa, pois trabalho na imprensa há dez anos e tenho presenciado comentários dos mais condenáveis. Somos, os jornalistas, seres elitistas e preconceituosos. Fundamentalmente, odiamos o povo brasileiro e tripudiamos sobre seus costumes, suas crenças, seus sotaques, seu modo de festejar, de sofrer e de falar. É claro que não tornamos público o nosso pensamento, pois também somos hipócritas o bastante para sustentar nossa imagem de homens retos e justos. Piadinhas e comentários depreciativos sobre as minorias e os pobres são feitos apenas nos bastidores, no cafezinho do corredor ou nas reuniões de pauta. No caso da TV, os apresentadores costumam revelar quem realmente são nos intervalos comerciais. Só que, às vezes, os comentários vazam:
.
.
No dia seguinte, primeiro do ano, Casoy pediu desculpas no ar (aqui). Desculpa sem valor algum, pois a hipocrisia não conhece o arrependimento. Fosse ele honesto e teria dito: “Desculpem-me por dizer em voz alta o que realmente penso sobre os pobres”. Fosse ele um homem de princípios e ao invés de desculpas, pediria demissão. Mas é aquilo mesmo o que pensa o jornalista, a emissora que paga o seu salário e a parcela da classe média conservadora que vê neste sujeito uma referência de profissional sério e imparcial.
.
Por isso, é cada vez menor a credibilidade da imprensa entre o povo. Aliás, adivinhem quem foi eleito o brasileiro mais confiável em recente pesquisa encomendada pelo Datafolha (aqui)?
.
Em 2010, ano eleitoral, este botequim promete marcar em cima os safados que jogam contra o Brasil. Estamos na área e se derrubar é pênalti.
.
PS 1: O botequim recomenda ainda a leitura do artigo Boris, o Filho do Brasil, do filósofo Paulo Ghiraldelli Jr. (Clique aqui). Em tempo: alguém sabe o nome da vagabunda que ri do comentário no vídeo?
[Original deste texto no Botequim do Bruno: www.botequimdobruno.blogspot.com]

4 comentários sobre “Isso é uma vergonha”

  1. rsrsrsrsrs…

    De acordo com o Datafolha, o ranking da credibilidade foi o seguinte: o Presidente Lula liderou a lista, seguido pelo jornalista William Bonner, Padre Marcelo Rossi, o Rei Roberto Carlos, Ivete Sangalo, Silvio Santos, Zezé Di Camargo, Dunga, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gugu Liberato, José Luiz Datena, Ronaldo, José Serra, Hebe Camargo, Fausto Silva, Paulo Coelho, Xuxa, Aécio Neves, Ciro Gomes, Dilma Rousseff, Marina Silva, Fernando Henrique Cardoso, Itamar Franco, José Sarney, Edir Macedo e Fernando Collor de Mello.

    Que elenco!!
    rsrsrsrsrs…

    http://www.clube.fm/noticias/?id=75706,DATAFOLHA-SILVIO-SANTOS-E-GUGU-ENTRE-OS-10-MAIS-CONFIAVEIS

  2. Bruno,
    é mesmo uma vergonha,mas generalizações são perigosas.
    Sei a que tipo de jornalista você se refere.
    Mas,omo jornalista que sou espanta-me ver minha classe generalizada.
    Em todas as profissões ,encontramos todos os tipos de pessoas,certo?
    Sinto-me honrada em não fazer parte da espécie de jornalista que você conhece bem,e tenho a certeza de que não sou exceção,colega.
    Cordialmente,
    jorn.Neide Pessoa
    Representante dos jornalistas de Minas Gerais
    no Conselho de Defesa dos Diretos Humanos-MG

  3. Infelizmente, apenas a direita tem consciência de classe. É num comentário como esse do senhor Casoy que podemos percebr o quanto andam juntas suas estratégias de dominação e manutenção de privilégios. Piadinhas como a do colega Casoy demonstram o recismo, o preconceito e o caráter da turma que vive do lado de lá da trincheira.

Deixe uma resposta