Fiocruz reúne cientistas e jornalistas para debater mudanças climáticas

Encontro do dia 21 de setembro terá convidados do Brasil e do exterior

Elevação do nível do mar, desertificação de diferentes áreas nos cinco continentes, furacões mais intensos, derretimento de geleiras, enchentes e secas cada vez mais intensas, aumento da temperatura média do planeta, risco de extinção de diferentes espécies animais e vegetais, perspectiva de falta de alimentos e escassez de água – eis alguns dos efeitos das mudanças climáticas que cada vez mais têm mobilizado cientistas, ambientalistas, governos e organizações não-governamentais e atraído a atenção da imprensa. Contudo, há realmente um fundo de verdade nas projeções sobre os efeitos da mudança no clima ou em determinados casos a imprensa atua com sensacionalismo na cobertura do tema? Em que medida a imprensa pode melhorar a aboradagem que faz do tema?

Para discutir essas e outras questões – como o perfil da cobertura da mídia sobre o tema e como tornar a linguagem e os conceitos científicos mais atraentes e acessíveis ao público geral – a Fiocruz promove no dia 21 de setembro o workshop Mudanças climáticas: como cobrir e divulgar o assunto? O encontro contará com a participação de cientistas e jornalistas com grande destaque no cenário nacional e internacional na área de mudanças climáticas.

“O objetivo do workshop é oferecer informações confiáveis e dicas práticas a jornalistas, comunicadores e profissionais de diferentes segmentos que trabalham com divulgação científica sobre como cobrir temas relacionados à mudança climática e como estabelecer um diálogo com a sociedade neste assunto”, diz Luisa Massarani, jornalista, pesquisadora da Fiocruz especializada em divulgação científica e organizadora do encontro.

Um dos convidados, o pesquisador Jose Marengo, do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe), dará dicas de questões que podem ser mais bem exploradas por jornalistas e divulgadores de ciência e fará uma avaliação da cobertura da imprensa no Brasil e no mundo. Ulisses Confalonieri, da Fiocruz, que integra o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) estabelecido pela Organização Meteorológica Mundial e outras agências das Nações Unidas, destacará informações essenciais relacionadas a mudanças climáticas e saúde que devem ser consideradas no diálogo com o público. Outro brasileiro que participará do debate, o jornalista Carlos Fioravanti, apresentará um estudo no qual compara a cobertura do jornal inglês The Independent e da Folha de S. Paulo.

Com mais de dez anos de experiência na área de divulgação científica, tendo escrito livros, artigos de jornais, revistas e sites, para adultos e crianças, o austrialiano Simon Torok irá discutir formas de preparar textos mais interessantes sobre mudança climática. Já o inglês Mike Shanahan, assessor de imprensa do Instituto Internacional para Ambiente e Desenvolvimento do Reino Unido, discutirá a mídia e a agenda internacional, destacando a necessidade da imprensa oferecer maior inserção às vulnerabilidades sócio-econômicas dos países em desenvolvimento.

O evento, gratuito, terá tradução simultânea. Não há necessidade de inscrição. O workshop será transmitido pela internet no endereço http://www.museudavida.fiocruz.br/clima.htm ; Internautas poderão interagir com os palestrantes, através do envio em tempo real de perguntas e comentários. O workshop é organizado pelo Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz da Fiocruz, com o apoio do Programa de Comunicação em Mudanças Climáticas da Embaixada do Reino Unido no Brasil.

Serviço:
Workshop Mudanças climáticas: como cobrir e divulgar o assunto?
Data: 21 de setembro
Hora: 10h
Local: Tenda do “Ciência em Cena”, Campus da Fiocruz (Avenida Brasil, 4365 – Manguinhos, Rio de Janeiro)

_______________________________________
Lembre-se que você tem quatro opções de participação: (I) Um email de cada vez; (II) Resumo diário; (III) Email de compilação; (IV) Sem emails (acesso apenas online). Para cancelar, responda solicitando. [www.consciencia.net/agencia]

Deixe uma resposta