Evento da ONU discute demência senil, que afeta 47 milhões de pessoas no mundo

A demência é devastadora não só para os que sofrem dela, mas também para os cuidadores, famílias e sociedade como um todo”, lembrou a especialista da ONU para os direitos humanos das pessoas mais velhas.

Começou ontem (16), a primeira Conferência Ministerial de Ação Global contra a Demência, organizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A cada quatro segundos alguém é diagnosticado com esta doença incurável, que hoje afeta 47 milhões de pessoas em todo o mundo, número que poderá triplicar até 2050.

“O objetivo da conferência é o de aumentar a conscientização sobre a carga sócio-econômica criada pela demência e para realçar que esta carga pode ser reduzida se o mundo colocar a demência em destaque na agenda global de saúde pública”, afirmou a OMS.

A especialista independente da ONU sobre o gozo de todos os direitos humanos das pessoas mais velhas, Rosa Kornfeld-Matte, disse, durante o encontro que acontece em Genebra (Suíça), que pessoas mais velhas com demência têm que ter sua dignidade, crenças, necessidades e privacidade respeitadas em todos os estágios da doença e cobrou dos governos ao redor do mundo que integrem efetivamente os direitos humanos em suas ações contra a demência.

“A demência pode afetar todos nós”, disse Kornfeld-Matte. “É uma prioridade de saúde pública, mas é também uma preocupação de direitos humanos. A demência é devastadora não só para os que sofrem dela, mas também para os cuidadores, famílias e para a sociedade como um todo.”

Fonte: UNIC-Rio
http://nacoesunidas.org/evento-da-onu-discute-a-demencia-que-hoje-afeta-47-milhoes-de-pessoas-idosas-em-todo-o-mundo/

Deixe uma resposta