Esta é que é a corrupção fundamental

Achei o grito/desabafo transcrito abaixo no blog Vi o Mundo, de 31/12/2011, com o gráfico revelador. Reproduzo:
Laurita Salles: Sobre o gráfico que é preciso disseminar
Por Laurita Salles
Gostaria que publicassem com destaque o que não se diz:
O que se gasta com juros da dívida no país é 47,19% da Lei orçamentária de 2012.
Depois, funcionários públicos não têm aumento, aposentados também não.
O que que é isso?
Qual a diferença com os ajustes neoliberais?
Acho que o Viomundo não pode omitir-se de discutir seriamente o que a imagem abaixo mostra. Esta deve ser escancarada na blogosfera.
Não dá para achar que está tudo bem.
O propalado “buraco” da Previdência é menos da metade do juro da dívida.
E vem o governo acabar com as aposentadorias dos funcionários públicos.
Isso é o fim do bem estar social. Tente se “aposentar” vc foi roubado, literalmente roubado!
Infelizmente isso é neoliberalismo.
A imagem é forte e didática:
Observações: Estão aí o gráfico e o texto de Laurita Salles. OVi o Mundo publica junto uma matéria creditada a “Da página da Auditoria da Dívida Cidadã”, onde se chama a atenção para o escândalo “que não se diz”, como grita Laurita: a proposta do Orçamento para 2012 aprovada pelo Congresso Nacional “prevê a destinação de R$ 1,014 trilhão para o pagamento de juros e amortizações da dívida pública no ano que vem (2012), o que representa 47,19% de todo o orçamento. Enquanto isso, serão destinados apenas 18,22% para a Previdência Social, 3,98% para a Saúde, 3,18% para a Educação, e 0,25% para a Reforma Agrária, conforme se vê no gráfico”.
Em postagem aqui neste blog, do último dia 6, Igor Felippe, do MST, mencionava: “Do orçamento geral da União, apenas em 2010, R$ 635 bilhões (que representa cerca de 45% do montante total do orçamento) (foram destinados) para o pagamento de juros, amortizações e o refinanciamento da dívida pública brasileira” (ele falava sobre “contradições da sexta economia do mundo”, no artigo “O que o Brasil oferece ao mundo”).
Repare que a montanha de dinheiro quase duplica entre o valor gasto em 2010 (R$ 635 bilhões) e o valor previsto para 2012 (R$ 1,014 trilhão). Essa montanha de dinheiro que será engolida neste ano pelos chamados rentistas – são basicamente especuladores, tratados pela imprensa cúmplice como investidores – equivale a quase 12 vezes o gasto previsto para a Saúde, quase 15 vezes o da Educação e 188 vezes o destinado à Reforma Agrária. Parece inacreditável, mas é só fazer umas continhas simples.
Pois é, esta é que é a corrupção fundamental no Brasil. Vem desde sempre: passou pelo governo do FHC, pelo governo do Lula e está passando pelo governo da Dilma.
Mas ela é escondida do povo brasileiro. A velha mídia – os monopólios da comunicação, a chamada grande imprensa – não fala disso, porque é a “mina de ouro” das grandes corporações empresariais nacionais e estrangeiras, em especial as financeiras, às quais estão associados os donos dos maiores jornais, das revistas semanais de maior circulação e das emissoras de rádio e televisão.
É a corrupção fundamental “que não se diz”.
(*) Jadson Oliveira é jornalista baiano e vive viajando pelo Brasil, América Latina e Caribe. Atualmente está em Salvador. Mantém o blog Evidentemente (blogdejadson.blogspot.com).

Deixe uma resposta