Espelhamento

Ontem assisti à partilha de trechos autobiográficos de José Hailton Bezerra Lyra, de Kairós-Nós Também Somos Igreja. Naquela pequena sala onde tantas vezes ouvíramos outros retalhos de vida de outros membros do grupo, um quebra-cabeças começava a se montar. Tanto, que perdi a noção do tempo. Creio que isto deva ter acontecido com outras pessoas presentes, também. Ouvia o companheiro partilhando momentos da sua infância, suas lutas por seguir os estudos de filosofia, suas viagens ao Rio de Janeiro e à Espanha. As dificuldades econômicas. A militância social.

Não sei se como consequência desta escuta ativa em que me fui vendo refletido, de tarde, quando ia comprar alguma coisa pelas redondezas de onde moro, tive esta sensação: a vida vem chegando. Tudo foi muito rápido. Rememorei a minha própria vida, como em um relâmpago. A vida passou muito rápido. E hoje de manhã, agora, o dia de ontem volta. Voltam todos os dias passados. A infância, a adolescência, os tempos até este instante em que lês estas coisas. Isto é que é a vida: um fugaz espelhamento.

Deixe uma resposta