Encontro sobre Imigração e Colonização em Passo Fundo

Nos últimos dez anos, através da linha de pesquisa “Espaço, economia e sociedade”, o Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Passo Fundo (UPF) realiza um amplo movimento de investigação do processo de ocupação, instalação, consolidação, desenvolvimento e superação da imigração colonial-camponesa, sobretudo italiana, mas também alemã, polonesa, holandesa, etc., com destaque para o norte do Rio Grande do Sul e o oeste de Santa Catarina e Paraná. Da redação.

Encetadas em uma ótica revisionista, essas investigações, que abordam as esferas econômicas, sociais, políticas e culturais, preocupam-se em desvelar a essencialidade dos processos migratórios e colonizadores, para melhor contribuir à compreensão dessas realidades e de suas importantes influências nas sociedades gerais na qual se desenvolveram, por além de seus registros fenomênicos apologéticos, comumente de corte etnicista.

A publicação sistemática das investigações dos discentes e docentes tem facilitado a consolidação do PPGH-UPF como pólo referencial sulino nos estudos imigrantistas. Nessa produção, destacam-se trabalhos de egressos do PPGH-UPF como A Lei do Silêncio: repressão e nacionalização no Estado novo em Guaporé [1937-1945], de Cláudia Sganzerla; Ulisses va in America: história, historiografia e mito da imigração italiana no RS [1875-1914], de Dilse Corteze; O sexo, o vinho e o diabo: demografia e sexualidade na colonização italiana no RS [1906-1970], de Ismael Vannini; Montanhas que furam as núvens! Imigração polonesa em Áurea, RS [1910-1945], de Thaís Wenczenovicz; Memória e cultura étnica, de Valter Rosseto; Estado, colonos e índios: conflitos na Reserva de Serrinha, de Joel Carini; Lei de Terras e a colonização no Médio Alto Uruguai, de Dablio Taglietti; O movimento dos monges Barbudos, de Henrique Kujawa; A colônia Barro e a Ferrovia no norte do Estado, de Gladis Wolf, publicados pela UPF Editora, em geral em parceria com a EST Edições.

Como desdobramento desses estudos e investigações, em 13 e 14 de novembro de 2007, realizou-se o II Seminário de História Regional do Programa de Pós-Graduação em História da UPF. A primeira versão desta reunião de estudos ocorreu em 2006, com mais de quarenta participantes, também no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UPF, sob a coordenação do dr. Adelar Heinsfeld [adelar@upf.br], tendo como principal foco os estudos políticos.

Desta vez, sob a coordenação dos historiadores Mário Maestri, João Carlos Tedesco [jctedesco@upf.br] e Adelar Heinsfeld, o encontro teve como tema central a “Imigração, colonização e movimentos sociais”, e contou com mais de oitenta comunicadores, entre os quais conhecidos pesquisadores da história da imigração e colonização, como René Gertz [UFRGS/PUCRS]; Florence Carboni [UFRGS]; Maria Catarina Zanini [UFSM]; Isabel Gritti [URI]; Cláudia Sganzerla [UCS]; Renilda Vicenzi [UniChapecó] Leandro Di Gesia [Universidade Nacional del Sur, Argentina].

O ato inaugural foi aberto com conferências dos doutores José Plínio Fachel, da UFPel, e de Thaís Janaína Wenczenovicz, pós-graduada na UPF e PUCRS, respectivamente sobre os impactos da “política de nacionalização” na comunidade alemã de Pelotas, durante o Estado Novo, e a história e historiografia da colonização polonesa no RS. As conferências de encerramento ficaram a cargo dos historiadores Nilson Thomé, da Universidade do Contestado, e Paulo Zarth, da Unijuí.

O II Seminário de História Regional contou com o apoio ativo do Núcleo de Estudos Histórico Lingüísticos do PPGH-UPF, fundado especialmente para organizar, coordenar e incentivar os estudos históricos relacionados sobretudo com as migrações, grupos étnicos, caboclos, colonização e cativos, etc., igualmente sob a coordenação dos historiadores João Carlos Tedesco e Mário Maestri.

Mário Maestri, 59, é Professor do Programa de Pós-Graduação em História da UPF. E-mail: maestri@via-rs.net

Deixe uma resposta