Documentário “Mataram Irmã Dorothy” estreia no dia 17 de abril

Filme revela os bastidores do controvertido julgamento dos assassinos da missionária americana, que teve novos desdobramentos na última terça-feira (7). Leia mais.

No dia 17 de abril, estreia nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belém o documentário “Mataram Irmã Dorothy”, sobre o assassinato da freira Dorothy Stang, executada brutalmente com seis tiros, em 2005, em Anapu, interior do Pará.

O filme, dirigido pelo americano Daniel Junge e narrado pelo ator Wagner Moura, revela os bastidores do julgamento dos assassinos da missionária americana, investigando as razões de sua morte e os verdadeiros mandantes do crime.

Em 2008, “Mataram Irmã Dorothy” venceu o Prêmio do Público e Grande Prêmio do Júri no Festival South by Southwest; recebeu Menção Honrosa do Júri no FIC Brasília; e participou das seleções oficias do Festival do Rio e Mostra Internacional de São Paulo.

Nesta terça-feira, dia 7, aconteceram novas reviravoltas no caso: o Tribunal de Justiça do Pará acaba de anular o julgamento, ocorrido em maio de 2008, que absolveu o fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, um dos acusados de ser mandante do crime, assim como o julgamento que condenou Rayfran das Neves Sales, apontado como executor do assassinato, a 28 anos de prisão.

No caso de Bida, a promotoria alega que a defesa usou uma prova ilegal ao exibir um vídeo em que outro participante do crime, Amair Feijoli da Cunha, o Tato, inocenta o fazendeiro. Tal prova foi incluída nos autos sem o conhecimento do Juiz e do Ministério Público.

No caso de Rayfran, os desembargadores acreditam que a avaliação dos jurados tenha sido prejudicada porque, na época do julgamento, a promotoria não conseguiu provar a qualificadora de promessa de recompensa. Para o Tribunal de Justiça do Pará, se isso tivesse ocorrido, a pena de Rayfran poderia ser maior.

Novos julgamentos para ambos os acusados ainda devem ser marcados pela Justiça. Veja abaixo o trailer do filme.

MATARAM IRMÃ DOROTHY (They Killed Sister Dorothy)
de Daniel Junge. Documentário. Estados Unidos / Brasil, 2008. 94min.
Narração de Wagner Moura

Em fevereiro de 2005, a irmã Dorothy Stang, de 73 anos, foi brutalmente assassinada. Ativista na defesa do meio ambiente e das comunidades carentes exploradas por madeireiros e donos de terra na Amazônia, a freira americana foi executada com seis tiros no interior do Pará. O documentário revela os bastidores do julgamento dos assassinos de Dorothy e investiga as razões de sua morte e seus verdadeiros mandantes. Por trás do drama criminal, vem à tona o legado de seu trabalho humanitário na floresta brasileira.

Deixe uma resposta