Demais séria é a saúde coletiva para ficar sob a égide do mercado

Demais séria é a saúde coletiva para ficar sob a égide do mercado

 

São duzentos e vinte os milhares

De pessoas tombadas por COVID

Cuja culpa o Governo condivide

Entre nós há fatores singulares

A tornarem infelizes nossos lares

As políticas de morte têm destroçado

O Governo é fábrica de ogivas

DEMAIS SÉRIA É A SAÚDE COLETIVA

PARA FICAR SOB A ÉGIDE DO MERCADO

 

Na saúde, no Ensino, no Ambiente

A tragédia se agrava, dia a dia

Supressão de direitos faz sangria

Previdência, trabalho intermitente

Índio, Negro – elo frágil da corrente

O conjunto dos pobres maltratados

Da ciência, desprezam-se os dados

Pras mulheres, não há perspectiva

DEMAIS SÉRIA É A SAÚDE COLETIVA

PARA FICAR SOB A ÉGIDE DO MERCADO

 

Só boicote tem feito Bolsonaro

Ao combate geral contra o corona

Bons ministros da área ele destrona

Em inúmeras vezes, deixou claro

Pra pobreza, ele quer o desamparo

Quer fazer do Brasil seu cadeado

Seu projeto é o de Trump: está fechado

E assim, o Brasil fica à deriva

DEMAIS SÉRIA É A SAÚDE COLETIVA

PARA FICAR SOB A ÉGIDE DO MERCADO

 

Qual raposa que muda o próprio pêlo

Mas seus hábitos, porém, sempre mantendo

Segue sempre perita em remendo

Investindo em discurso “novo” e “belo”

Logra mesmo cravar ser velho apelo

No discurso, demoniza o Estado

Mas, de fato, o assalta, deixa arrasado

Iracúndia, destarte, desperta e aviva

DEMAIS SÉRIA É A SAÚDE COLETIVA

PARA FICAR SOB A ÉGIDE DO MERCADO

 

Noticia a imprensa que empresários

Sob o influxo de Skaf, grão financista

Na indústria, tão pouco ele invista

A pretexto de serem “solidários”

Mas de olho, de fato, no erário

Vêm propor parceria com o Estado

Competindo aos senhores do “doado”

Vacinar, mas de forma privativa

DEMAIS SÉRIA É A SAÚDE COLETIVA

PARA FICAR SOB A ÉGIDE DO MERCADO

 

 

Eis que volta sua velha estratégia

Ao combate do vírus estão prontos

E assim refazendo os seus contos

Aos patrícios prometem prenda Régia

E bem junto ao chefe da turma “egrégia”

Para o SUS a metade tem doado

E a outra metade aos empregados

E com isto, do público se esquiva

DEMAIS SÉRIA É A SAÚDE COLETIVA

PARA FICAR SOB A ÉGIDE DO MERCADO

 

 

João Pessoa, 26 de janeiro de 2021

Deixe uma resposta