Construção de muros em favelas do Rio gera polêmica na ONU

Desiree Luíse (SP), da Radioagência NP

Muros de concreto estão sendo construídos na cidade do Rio de Janeiro (RJ) para cercar onze favelas da zona sul da capital. A atitude do governo estadual está gerando polêmica. Os muros foram questionados pela Organização das Nações Unidas (ONU), que cobrou explicações do governo brasileiro durante o Comitê de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais da organização.

Além disso, o ministro brasileiro da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, também criticou a construção dos muros.

O governo do Rio de Janeiro informou que o projeto será mantido. O objetivo é impedir que as favelas avancem sobre a mata e, assim, preservar o meio ambiente.

Um dos peritos do Comitê da ONU, o colombiano Alvaro Tirado Mejia, declarou que o muro, ao conter a população de baixa renda, gera uma “discriminação geográfica”.

O colaborador da Federação de Favelas do Rio de Janeiro, Ernesto Serra, concordou: “Primeiro que todo o muro, de alguma forma, é um acinte ao direito de ir e vir. É o caso do muro dos Estados Unidos de separação com o México, o muro da Palestina, o muro de Berlim da década de 60. A tentativa de construir o muro [no Rio] é uma justificativa para isolar a favela de uma forma física principalmente. Então, não há uma política habitacional.”

O projeto, que vai consumir R$ 40 milhões, prevê a construção de muros de concreto de três metros de altura, com extensão total de 14 quilômetros.

Deixe uma resposta