Comentário: A eleição do Poste

“Se eu quiser, meu filho, elejo até um poste”. O criador da célebre frase foi Antônio Carlos Magalhães no auge de seu poder, ainda na década de 80. Seu candidato a governador da Bahia, Clériston de Andrade, morrera num acidente de avião 40 dias antes das eleições estaduais de 82. Questionado, sem saber exatamente quem indicar, o velho coronel se saiu com essa. E o poste – absolutamente desconhecido dos baianos à época – acabou sendo João Durval Carneiro, pai do atual prefeito de Salvador. O comentário é de Roberto Malvezzi, o Gogó, coordenador Nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT), no Jornal Correio do Brasil. Clique no título para ler.

Deixe uma resposta