Blogagem coletiva sobre amamentação

Por Arcanjo de Prata, leitor do Consciência e jovem blogueiro cheio de espírito humanitário

Chegou a semana mundial de amamentação! Vai do começo de agosto até o dia 7 do mesmo mês, e partiu do Síndrome de Estocolmo a iniciativa de formar uma mega-união na blogosfera para discutirem o assunto sob prismas diferentes.

Bom, a mãe moderna de hoje em dia possui uma acessibilidade infinita na net para saber as mil e uma razões(senão mais, é que parei de contar na 1001°, rs) da importância do aleitamento materno. Ela encontra na Wikipedia/aleitamento, no Grupo Origem, e até em blogs destinados exclusivamente ao assunto, como esse AQUI. Pra se ter uma idéia, “googleando” a palavra “amamentação” você tem 1.190.000 de resultado.

Não obstante, há uma parcela considerável de mães que não têm ciência do valor que o ato tão simples como o da foto acima representa. Uma mãe que não sabe dos benefícios endógenos e exógenos, ou seja, biológicos e psicológicos do bebê. Por isso é necessária uma divulgação, sim. Não raramente você pode encontrar uma pessoa que questiona “Por que toda essa atenção? A mãe desinformada, que em sua maioria é de uma renda baixa, não tem capital para dar ao bebê outra coisa senão o leite materno.” Aí é que tá! Tem uma geração de mãe, essa de garotas de 15 anos, geração bem novinha, que segundo especialistas engravidam cedo para obter um afeto que não lhes foi dado, não sabem lidar com esse “ser” que surgiu. Muitas vezes sentem-se presas, e o que mais fazem é, precoce e erroneamente, botar o bebê na mamadeira. Isso quando as mães não são enganadas por empresas bilionárias como o caso da Nestlé, já falado no post anterior!

Sinceramente, eu acho que pouca gente reconhece a responsabilidade de trazer uma nova vida a este globo. Eu acho egoísmo alguém querer plantar uma bela árvore num terreno preste a desabar. É o que está acontecendo. Mulheres, homens, esses casais, parecem todos enxergar só o glamour que a sociedade passa, ou deixam um desejo puramente egocêntrico predominar, e têm um bebê sem tentar fazer deste um mundo melhor. Acho esse fato inconcebível! No meu ver, há muitas crianças sem pai, sem mãe, e eu adoraria um dia adotar. Sei que não sou mulher, e não tenho essa vontade de ter filho, que é mais instintivo que outra coisa, mas é bom parar e refletir um pouco ao notar esse aspecto. Não condeno o fato de ter filhos, mas se é para ter, ao menos queira fazer do Mundo um lugar melhor de se viver para que seu filho sofra o menos, o menos possível. Logo, se é pra fazer, faça direito!

Ah, entrando nesse universo feminino, indico um site que está fazendo uma ótima campanha, também. Trata-se da Campanha da Mamografia Digital Gratuita do Instituto Neo Mama de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama, que por sinal não atinge somente as mulheres, mas como alguns homens também. O site depende das visitas para conseguir subsídios suficientes para continuar com o serviço gratuito. Vale à pena conferir!

Aqui vai uma dica essencial, 5 partes de uma espécie de documentário que… bom… deixe-me transcrever: “A história das fórmulas de leite que em alguns países substituíram a amamentação com resultados catastróficos (dublado em português /BR).” Deixo aqui a 1° parte, aí é só seguir na barra de vídeos no lado direito da tela para a continuação.

Parte 1 (Amamentação)

Deixe uma resposta