Arte e humor contra a discriminação

De forma bem humorada e nada didática, o grupo de arte para transformação social Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade fala sobre diferenças e desigualdades no espetáculo Ninguém mais vai ser bonzinho, que será apresentado no dia 16 de maio, às 18h, no Núcleo Cantagalo do AfroReggae (Rua Saint Roman, 200 , Ipanema – Rio de Janeiro). Com texto e direção de Diego Molina e supervisão de Bosco Brasil, a peça trata de um tema complexo como a discriminação sem cair no pieguismo.

O espetáculo inova ao oferecer acessibilidade total na comunicação ao público. Além de ter programas impressos em braile e meio digital, a peça contará com tradução para a de Língua Brasileira de Sinais (Libras), legenda eletrônica, para pessoas surdas ou com deficiência auditiva, e também audiodescrição, para pessoas cegas ou com baixa visão.

Uma comédia ágil e de suspense policial, o espetáculo mostra formas sutis de discriminação evidenciadas por uma situação limite. Quatro pessoas, uma delas com Síndrome de Down, estão presas em um ônibus que foi seqüestrado. Sem perspectiva de ajuda, elas precisam encontrar uma maneira de sair da situação, sob a ameaça iminente da volta dos bandidos.

A peça é inspirada no livro “Ninguém mais vai ser bonzinho, na sociedade inclusiva”, da jornalista e fundadora da ONG Escola de Gente – Comunicação em Inclusão, Claudia Werneck, que é também autora de outras 11 obras sobre inclusão, para crianças e adultos. Segundo Claudia, são raras as iniciativas artísticas que possuem preocupação com a democratização cultural. “As medidas de acessibilidade na comunicação são indispensáveis para difusão e democratização da cultura. Infelizmente, mesmo sendo legislação no país, os espetáculos e projetos culturais continuam a discriminar algumas condições humanas. Este espetáculo do grupo Os Inclusos e os Sisos leva o público à reflexão, ao entendimento e à prática de uma sociedade inclusiva”.

Ninguém mais vai ser bonzinho – Circulação Nacional tem patrocínio da Oi, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, parceria da Fundação Avina, e apoio do Afroreggae, Rede Latino-americana de Arte e Transformação Social e Oi Futuro. Além da apresentação no Cantagalo, haverá mais cinco espetáculos no estado do Rio de Janeiro, entre os quais, na Acadêmicos da Rocinha e no projeto social Gol de Letra. Depois, o grupo parte para apresentações em Salvador e no Recife.

FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Diego Molina
Elenco: Fábio Nunes, Marcos Nauer, Natália Simonete,Talita Werneck e Victor Albuquerque
Orientação de dramaturgia: Bosco Brasil
Cenário: Sérgio Marimba
Figurino: Marcelo Olinto
Iluminação: Aurélio de Simoni
Música: Isadora Medella

Serviço:
Peça: Ninguém mais vai ser bonzinho
Data: 16 de maio, às 18h
Local: Núcleo Cantagalo do AfroReggae
Endereço: Rua Saint Roman, 200 , Ipanema – Rio de Janeiro, (21) 2227.4763

Acesso pela comunidade:
Entrar pela Rua Sá Ferreira, ao lado do Hotel Ducasse, seguir pela Rua Saint Roman, até o final, entrando pela estrada do Cantagalo, até o CIEP João Goulart.

ENTRADA FRANCA
CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 14 anos

Deixe uma resposta