Aprendizado

Talvez o que eu mais esteja aprendendo é que o tempo não volta. Vai pra frente, sempre pra frente. O confinamento acentuou esta certeza.

Cada segundo é muito precioso. Parece que o tempo se compactou. Se reuniu. Ganhou uma outra qualidade. Esta consciência me faz viver cada coisa com um sentimento profundo. Segurança. Confiança.

Certeza de que há uma luz contida em tudo que existe. Eu tenho a possibilidade de nascer constantemente. Percebo que não preciso ser perfeito para ser aceito. Basta ser. Assim como sou está certo. Não poderia ser de outra maneira.

Nem eu gostaria que fosse diferente. Já não tento mais ser uma outra pessoa. Aparentar. Provocar um efeito nas pessoas. Atender expectativas alheias. Isto é um jogo. Faço e desfaço.

Me dou conta de que acabo por tocar algumas pessoas e elas me tocam também. Neste instante os passarinhos cantam. O sol já vai subindo pelo céu. E a vida toda está aí de volta.

Eu preciso das pessoas. Gosto de interagir. Me ouço ao falar. Me reconheço nas falas e nas histórias de vida que escuto. Deixo de me exigir tanto. Quase que nem me exijo mais nada.

Florescer não dá trabalho. Ocorre por si mesmo. Lua crescente. Lua minguante. Eu faço parte de tudo que me rodeia. Não sou tão independente nem tão dependente.

Trato de viver a realidade concreta que sou eu e a minha circunstância. Percebo que há variações mínimas e decisivas em tudo que acontece.

Trato de apanhar essas mudanças apenas perceptíveis, porque é nelas e por elas que cresço. Eternização é isso. Ser parte. Fazer parte.

Me perceber com um lugar preciso e determinado no tecido da existência. Os meus textos como as minhas falas às vezes têm inconsistências, contradições. A vida é assim. Eu sou assim.

Um comentário sobre “Aprendizado”

  1. Meu caro amigo Rolando aqui está um belo texto que foi capaz de me fazer refletir sobre meu jeito de estar nessa pandemia,na vida. Lugar de experimentar, de partilhar, de acolher, de ser e também de Não ser…..é tempo que apenas segue….

Deixe uma resposta