A DIREITA SE ESCONDE E A ESQUERDA É ESCONDIDA

Plínio de Arruda Sampaio foi o primeiro candidato a presidente da República a ser perguntado (escolhido em sorteio prévio) no primeiro debate pela televisão da eleição/2010, na quinta-feira, dia 5, pela TV Bandeirantes. Levantou-se, fez aquelas saudações de praxe e foi logo esperneando, mais ou menos assim: “Vocês devem estar surpresos, eram só três candidatos e agora aparece mais um, e tem mais…” (referência a ele próprio e mais cinco candidatos “invisíveis” da corrida presidencial).
O candidato do PSOL tentou, desde o primeiro momento, dizer: olha eu aqui, represento um partido de esquerda, estou aqui em nome dos movimentos sociais, tenho propostas alternativas, diferentes dos três candidatos aqui presentes (são os que mais aparecem na imprensa: Dilma Rousseff, do PT, a candidata do popular Lula, já francamente favorita; José Serra, do PSDB, a cada dia mais abandonado pelos ex-companheiros; e Marina Silva, do PV, que não fede nem cheira), os três têm muita convergência, eu sou a divergência, represento a defesa da igualdade social contra a desigualdade do sistema, “quero derrubar o muro que separa o povo da perspectiva de justiça social”.
E foi esgrimindo com três pontos básicos, tentando mostrar que era mensageiro de uma outra visão, tentando demonstrar que, dentre os quatro candidatos, somente ele defendia a limitação da propriedade da terra em mil hectares; somente ele defendia a redução da jornada de trabalho sem redução do salário; e somente ele era contra dar anistia aos desmatadores de florestas.
Discriminado também no debate, conforme se queixou – as perguntas, claro, iam mais para Dilma e Serra, pois apenas um dos dois pode ser presidente, segundo está escrito nos anais de uma espécie de conspiração paracelestial -, Plínio de Arruda Sampaio, do alto dos seus 80 anos de integridade e coerência, buscava aproveitar aquela rara oportunidade para dar o seu recado. Apesar do seu porte elegante e respeitável, poderia lembrar um afogado buscando desesperadamente um pouquinho de ar para saciar os pulmões.
Falta liberdade de expressão
Na verdade, este quadro é o retrato da falta de liberdade de expressão das forças de esquerda, ou pelo menos de uma esquerda mais autêntica, mais radical, estigmatizada como sonhadora e ineficaz, não só pela direita, mas também por uma esquerda mais flexível, pragmática, muito mais exitosa, como a que está embutida em partidos como o PT, PV, PC do B, PSB e até PMDB. Talvez o estigma tenha razão de ser, mas se não há participação popular e suas posições mais radicais não chegam ao povo, como vamos saber? Fica aquela velha discussão sobre o sexo dos anjos.
De modo geral, os meios de comunicação não dão espaço à esquerda, e pior, criminalizam os movimentos sociais, normalmente afinados com os partidos de esquerda. No caso do processo eleitoral, há um argumento forte para manter os mais radicais escondidos: seus candidatos quase não pontuam nas pesquisas de opinião. Além de Plínio, concorrem também nesta disputa presidencial Zé Maria, do PSTU, Rui Pimenta, do PCO, e Ivan Pinheiro, do PCB. A massa do eleitorado nem sabe da existência deles, assim como dos demais que não aparecem nas pesquisas. (O critério para participação de Plínio no debate foi baseado na legislação eleitoral: seu partido, o PSOL, tem representantes no Congresso Nacional, assim como o PT, PSDB e PV).
Fenômeno na política brasileira
Enquanto isso, a direita, ela própria, trata de se esconder, não há um só político que se apresente como de direita. Há um fenômeno na política brasileira que, volta e meia, eu matraco, porque considero um fenômeno extraordinário: não existe direita na política brasileira, extrema-direita, nem pensar! – pelo menos é o que se deduz do noticiário dos jornais, rádios e TVs. Não existe! É isso? É isso mesmo, não existe!
É justamente por isso que José Serra se apresentou no debate da Band, ao traçar sua breve biografria, como defensor histórico do petróleo brasileiro e da Petrobras e ainda da reforma agrária – vejam só! até da reforma agrária, uma bandeira hoje já arriada até pela esquerda que cito acima como mais exitosa. Além de lembrar que foi líder estudantil, presidente da outrora combativa União Nacional dos Estudantes, a legendária UNE, e que esteve exilado 14 anos. Ou seja, a biografia de um perfeito esquerdista.
Não disse, óbvio – e ninguém lhe perguntou sobre tais coisas -, que ultimamente vem se alinhando com “teses” da extrema-direita, creio até que forçado pela circunstância de sua solidão política, amenizada pela companhia às vezes incômoda dos antigos arenistas/pefelistas, hoje adotando a sigla DEM, chamados “democratas” – vejam a falta de respeito com as palavras (ou seria ironia?).
Serra (quem diria?) na extrema-direita
É o mesmo José Serra que, como governador de São Paulo, reprimiu duramente os professores e policiais em greve; é o mesmo que, como ministro de Fernando Henrique Cardoso, apoiou o entreguismo de empresas estatais no vergonhoso processo de privatizações; é o mesmo que repete aleivosias da extrema-direita acusando o presidente Evo Morales, da Bolívia, de envolvimento com traficantes de drogas, ou acusando o PT de ligações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farcs); é o mesmo José Serra que, como dizem críticos mordazes, parece querer o lugar do mal-afamado Álvaro Uribe (que deixa a presidência da Colômbia neste sábado, dia 7) como capataz do império estadunidense, contra a política de integração soberana da América Latina, apoiada pelo presidente Lula e pela candidata Dilma.
Pois é, este é um dos aspectos que se pode analisar a partir do primeiro debate na TV das eleições/2010: a esquerda querendo se mostrar e a direita, como sempre, se escondendo. Quantos eleitores chegam a perceber tais nuances, quantos estavam ligados no debate? A maioria na capital paulista, creio, estava ligada na TV Globo vendo a decisão da Copa Libertadores entre o São Paulo e o Internacional.
Comentei com um empregado do meu hotel que eu ia assistir ao debate dos candidatos na TV:
– Vai ser que hora? – ele perguntou.
– Às 10 horas – respondi.
– Ah! na hora do jogo!? – a frase teve um certo tom de protesto.
(*) Jadson Oliveira é jornalista baiano e vive viajando pelo Brasil, América Latina e Caribe. Atualmente está em São Paulo. Mantém o blog Evidentemente (blogdejadson.blogspot.com).

6 comentários sobre “A DIREITA SE ESCONDE E A ESQUERDA É ESCONDIDA”

  1. Pingback: Tweets that mention :: Fazendo Media: a média que a mídia faz :: » A DIREITA SE ESCONDE E A ESQUERDA É ESCONDIDA -- Topsy.com

  2. Plínio é o melhor candidato disparado!!
    E bom que o povo brasileiro saiba que esta campanha presidencial tem uma candidatura que mantem bem alto a bandeira do socialismo como única saída para a conquista definitiva de nossa soberana, da AL e dos povos do mundo inteiro, ante as garras imperialistas que insistem em nos manter colonizados.
    Nao adianta a midia burguesa querer esconder, se bobear o segundo turno será entre Plínio e Dilma.
    E vamo que vamo!

  3. O Governo Petista e a Liberdade de Expressão
    “Esse governo pressionou a TV Record (para demiti-lo). Foram várias pressões e a final foi do José Dirceu. Eram três assuntos que eles (governo) não queriam nem que se tocasse. Caso Banestado (remessa ilegal de dinheiro para aplcações no Exterior por meio do banco), o compadre de Lula, Roberto Teixeira (advogado da Transbrasil, acusado de operar esquema de arrecadação de dinheiro junto a prefeituras do PT) e o assassinato do Celso Daniel (ex-prefeito de Santo André). Eu insistia que acabaria em pizza”.
    “A TV Record tem gente muito boa, mas um problema: tem de decidir se é uma emissora de tevê, uma igreja ou um partido político. Os três são uma mistura explosiva”
    “Houve o telefonema do José Dirceu (para a TV Record). A diretoria me pós a par. “Ele disse que vai prejudicar a TV Record e você pessoalmente se não parar”. O José Dirceu caiu em 13 de fevereiro, meu aniversário. Depois que ele caiu, as pressões foram reduzidas. As ameaças foram dirigidas para o presidente da TV Record Dênis Munhoz.”
    “Nós recebemos um relatório do diretor do escritório de Brasília da TV Record, que participou de uma reunião em Brasília – as emissoras acertavam questões de publicidade com o governo. Dizia: “Olha, com o Boris Casoy não dá pra ter publicidade”. Me contaram ainda que o Luiz Gushiken (ex-secretário de Comunicação) tinha insinuado para o presidente da TV Record: “com o Boris lá fica difícil o relacionamento com vocês! Houve telefonemas da bancada evangélica: “Olha, o José Dirceu reclamou. Isso atrapalha a gente”. Boris Casoy.
    Fonte: Revista IstoéGente, abril de 2006.
    Então tá explicado a paixonite aguda do Presidente Lula da Silva pelo ditador iraniano, liberdade de expressão não é com eles.

  4. O leitor Gildo Araujo não entendeu o texto, é para fazer um comentário e não “corta colar” um texto da revista que faz apologia aos “empresários e novos ricos” e pior ainda faz as palavras de um anti-comunista enloquecido o Boris Casoy as suas, meu amigo seja original, a história esta ai para ser lida, vá ler.

  5. Falar que luta contra as injustiças sociais é fácil, mas só confirmamos quem é quem, na hora de dar exemplos e assumir posições!
    Muitos dos atos que acham secretos, não são tão secretos assim!
    Vamos divulgar as patifarias dos espertalhões, pois o povo precisa saber de onde vem a miséria, a violência e os maus exemplos.
    E perceber, como funciona a política na Brasil!
    Pagamos impostos, para ter direito a Educação e Segurança; mas desde o descobrimento do Brasil, somos obrigados a conviver e confiar em gente hipócrita, mentirosa, oportunista e mesquinha, que pouco, ou nada se importa com a Pátria, ou, com seu semelhante!
    Se não fosse desta maneira, há muito seriamos o País mais rico do planeta, em todos os sentidos!
    Existem desvios de verbas, que debilita e desacredita a educação estadual e municipal, e os políticos tiram vantagens desta situação; pois, tanto montam escolas, como tomam parte nos lucros de outras, induzindo os que têm melhor poder aquisitivo, a procurar tais escolas particulares! Desta maneira, a maioria da população sem poder aquisitivo, continuara mal formada, e mal informada como sempre foi!
    Bom esquema não é mesmo?
    E esta mesma formula é usada na área de segurança publica.
    Desviam-se verbas da segurança, montam-se, ou apóiam empresas de seguranças particulares! E além de nos explorar com impostos para manterem seus salários principescos, suas mordomias e as varias aposentadorias, ainda superfaturam, desde as construções dos presídios, até os custos dos presos; informando que cada um dos presos, que estão embolados em pequenos cubículos, custa para o governo, ou seja, para o povo que paga imposto, em torno de quatro mil e quinhentos reais, mensais!
    Será que eles não sabem que, uma faculdade em período integral não custa tanto?
    E será que, eles acham que a cadeia é mais instrutiva que uma faculdade?
    Será que, eles não sabem que no Brasil muitos pais de famílias, trabalham de sol, a sol, a troco de “quinhentos e poucos reais”, que é o salário mínimo, e são obrigados a se manter e sustentar sua família com este valor tão irrisório?
    Ai esta a conveniência em manter as cadeias superlotadas com as vitimas marginalizadas, deste sistema injusto, criado por uma corja corrupta e oportunista que só visa obter lucros!
    E na área de saúde, os políticos tanto desviam verbas, deixando o povo em desespero em filas de INSS, como aproveitam para fazer sociedades em hospitais e planos de saúde particular, que lhes proporciona mais renda, pois com a saúde abandonada, estão induzindo o cidadão com melhor poder aquisitivo, a pagar plano da saúde particular!
    Sem contar que continuam nos cobrando taxas de IPVA, e muitos outros impostos, para construir e melhorar as estradas! Mas acontece que; depois de construir tais estradas com nossos impostos, eles, os políticos as privatizam para se favorecerem, ou favorecer seus amiguinhos, ou seus familiares; e somos obrigados a pagar absurdos, para rodar nas mesmas estradas, que foram construídas com nossos impostos!
    E o mais estranho, é que nunca tem verbas para dar o aumento garantido pela lei: que é bem clara; quando cita que; > cada aposentado deve receber de acordo com sua contribuição! Sinal que não temos justiça, pois a lei, não vem sendo cumprida ou respeitada!
    E os desfalques, a corrupção, e a injusta distribuição de renda, além de deixar a população sem opção de vida digna, ainda é a maior responsável pelo aumento da criminalidade, da violência e injustiça social!
    No final, o pobre é quem mais paga imposto no Brasil; pois paga; e não debita o que gasta, do imposto de renda!
    E para aumentar minha revolta, eu ajudei a eleger mais um salvador da pátria, que criticava os corruptos e ladrões, e se dizia defensor de uma justa distribuição de renda! Mas aconteceu; que depois de eleito, tanto ele se tornou milionário, como tornou seus amiguinhos e seus familiares, gênios, empresários, fazendeiros, bilionários da noite para o dia! Tornou-se defensor daqueles que ele mesmo, antes tanto criticava e com eles, passou a comer caviar e beber champanhe importado, a ponto de urinar nas calças!
    E devido ao interesse, em assumir cargos na ONU, passou a doar o sangue e suor dos trabalhadores e dos oprimidos, até aos países de primeiro mundo.
    E as verbas que deveriam ser usadas para incentivo a cultura acaba sendo usada para publicar livros e filmes para promover e jogar confetes naqueles que se julgam semideuses! Enquanto a educação e a cultura permanecem abandonadas por falta de verbas!
    E com intuito de se perpetuar no poder, usa dinheiro dos cofres públicos para fazer campanha, apoiando uma ex-ladra e assassina para representar a população, e esconder suas imundices e enriquecimentos ilícitos!
    Mas, como uma pessoa, que exerce vários cargos ao mesmo tempo, todos com salários principescos, pode dizer que defende a justiça social e uma justa distribuição de renda? Quem consegue estar em dois, ou três lugares ao mesmo tempo? É o caso da Dilma, que só da Petrobras, recebe mais de um milhão por ano sem ir ao emprego!
    Com tanto desemprego no País, isso é justo?
    E não venha dizer, que o povo é dono do petróleo; pois o cidadão em Países visinhos, onde nem um poço de petróleo tem, está comprando combustível puro pela metade do valor, que pagamos por um combustível adulterado, ou pelo gás de cozinha, que é gênero de primeira necessidade!
    Por este motivo, meu voto de confiança será no NULO: DIGITAREI 0000 E confirmarei!
    Enquanto poucos ganham muito, sem fazer nada, o povo vive de miséria, ou desempregados sobrevivendo de esmolas, sem dignidade em currais eleitorais!
    E falar em projetos felicidades neste país de miseráveis! “Vamos ser realistas” Fala serio: Só pode ser inocência e simplicidade, ou muita demagogia e hipocrisia!

Deixe uma resposta