A campanha Globo-Serra

A campanha da TV Globo para o seu candidato do coração, José Serra, merece atenção especial ainda que já tenha sido retirada de circulação. Para quem não viu, um resumo: a pretexto de comemorar seus 45 anos de vida, um vídeo de trinta segundos reúne os principais “astros” da emissora que, com frases curtas, enviam uma mensagem na linha de “o Brasil pode mais”, slogan da campanha serrista, cuja legenda é a de número 45. “Muito mais vontade de querer ainda mais qualidade” e “é por você que a gente faz sempre mais”, dizem os “artistas” e “jornalistas” da empresa. Reparem a ênfase no “mais”, a que Serra tem se prendido para convencer os brasileiros de que é o “Pós-Lula”. No youtube: http://www.youtube.com/watch?v=qTf0SYnNMNk.
A Globo iniciou as transmissões, de fato, há 45 anos, no glorioso ano de 1965. Ou seja, apenas um ano depois do golpe de Estado que, sob a batuta da CIA, seqüestrou, torturou e assassinou milhares de brasileiros. A Globo apoiou a ditadura e foi apoiada por ela. Daí Armando Falcão, um dos ministro da Justiça da época, ter dito no documentário “Muito Além do Cidadão Kane”: “Roberto Marinho foi revolucionário de primeira hora”.
No entanto, vale ressaltar, em nome da História, que os primeiros dois contratos entre Roberto Marinho e o grupo Time Life foram assinados em 1962, em Nova York, segundo registra Daniel Herz no livro “A história secreta da Rede Globo”. No papel, a emissora tem, portanto, 48 anos.
Voltando à peça publicitária em favor de José Serra: o PT enxergou o óbvio e exigiu a retirada da campanha do ar. Foi atendido. Só que essa história não pode terminar aqui. Esse fato é extremamente grave e vai além, muito além, do uso de uma concessão pública para fins privados. Também vai além do uso de uma concessão pública em favor de um grupo político neoliberal que, em última análise, defende a exploração do povo brasileiro e legitima o assalto às riquezas do país.
A peça publicitária da TV Globo é uma poderosa arma simbólica, que só pôde ser percebida como tal porque contém elementos passíveis de serem relacionados à campanha de José Serra: o ano eleitoral, o número 45 e a repetição da palavra “mais”. Por isso, ela rompeu a fina barreira entre a programação regular da emissora e aquela destinada ao “horário eleitoral gratuito”, invariavelmente anunciado com fado por apresentadores de telejornal.
Agora, quem luta pela democracia no Brasil não pode achar que essa história termina aqui. E nem acreditar que essa batalha foi vencida só porque a peça Globo-Serra foi retirada do ar. O que devemos fazer é avançar. A esquerda, como um todo, deve compreender a importância das disputas simbólicas, entendendo, por exemplo, que toda a programação das emissoras comerciais está repleta de mensagens a serviço do projeto neoliberal: autoritarismo, egoísmo, individualismo, racismo, preconceitos, segregacionismo, consumismo, medo, Estado fraco. O sistema capitalista nunca é questionado – para as corporações de mídia, é como se não existisse outra maneira de organizar a vida.
Esse enfrentamento não pode ocorrer apenas nos períodos eleitorais. A mídia é, hoje, a instituição com maior poder de produzir e reproduzir subjetividades. Ou seja, a mídia é essencial para determinar formas de sentir, pensar, agir e viver tanto de indivíduos quanto de instituições. Se queremos formar uma sociedade democrática, todo o sistema midiático deve ser reformulado. E esta é uma batalha de todos os dias.

17 comentários sobre “A campanha Globo-Serra”

  1. Pingback: Tweets that mention :: Fazendo Media: a média que a mídia faz :: » A campanha Globo-Serra -- Topsy.com

  2. Segundo disse Felix Guattari, O capital não é racional, mas, sim, hegemonista. As esquerdas, sobretudo a ortodoxa e a socialdemocrata, se não reconhecerem isso, colaborarão indo à reboque das subjetivações. A hora é de uma ecologia do virtual!
    Democratizar a comunicação e desintoxicar a desinformação sistemática.
    Estou com vc nessa luta, Marcelo!
    Abraços!

  3. marcelo, parabéns pelo texto. excelente…
    a propaganda é ridícula, vi e nao gostei. mas nao prestei atenção se continuou passando, esqueci a sua existência. mas agora tudo ficou mais claro. logo, a capa da veja (com foto de josé Serra rindo e a legenda “o brasil pós-lula” ) e essa campanha da globo não é apenas coincidência.
    começou a batalha galera. e ontem o jornal da globo anunciou a pesquisa por intenções de voto, e um dos critérios para classificação foi o “fator renda”, e enfatizaram em quem os “mais ricos” votam e quem os “mais pobres” votam.
    espero que não coloquemos tudo a perder e que os interesses da grande mídia nao sejam atendidos…
    abraços em todos

  4. A globo é uma empresa pau-mandada dos EUA que tá aqui pra destruir nosso povo e nosso país. Essa horda é um posto avançado da CIA com poder midiático para interferir nos destinos do nosso país, sempre visando beneficiar os EUA e suas empresas que formam o império colonialista capitalista que nos submete e à AL por décadas. Mas estamos nos libertando destes vermes sangue-suga através da união política e social latinoamericana. Venceremos!
    Entao, o único remédio é tod@s prestigiarmos o sítio/Tv ao vivo Telesur: http://www.telesurtv.net
    e também a nossa TV Camara, http://www.camara.gov.br/internet/tvcamara/default.asp?selecao=VIVO
    .
    Esqueçam a mídia pilantra nacional, desliguem a tv, saiamos do lixao midiático!
    “minha tv tá juntando teia de aranha e seu destino é incerto …!”
    * qto a campanha pro-serra da glroubo, ‘nao vi e nao gostei’.

  5. Pingback: :: Fazendo Media: a média que a mídia faz :: » A campanha Globo-Serra – globo

  6. A globo é uma empresa pau-mandada dos EUA que tá aqui pra destruir nosso povo e nosso país. Essa horda é um posto avançado da CIA com poder midiático para interferir nos destinos do nosso país, sempre visando beneficiar os EUA e suas empresas que formam o império colonialista capitalista que nos submete e à AL por décadas. Mas estamos nos libertando destes vermes sangue-suga através da união política e social latinoamericana. Venceremos!
    Entao, o único remédio é tod@s prestigiarmos o sítio/Tv ao vivo Telesur: http://
    e também a nossa TV Camara, http://
    Esqueçam a mídia pilantra nacional, desliguem a tv, saiamos do lixao midiático!
    “minha tv tá juntando teia de aranha e seu destino é incerto …!”
    * O patrulheiro pingback tá sempre na área … hê hê!

  7. Quando a TV Globo apoiou o Fernando Collor, o slogan-enunciado para associações, na mente do espectador, era “o salvador da pátria”. O poder deste império é tamanho que o candidato nem mesmo precisa fazer campanha, ter programa político, ou mesmo partido. As técnicas de condicionamento comportamental das massas é minuciosamente estudado e industrialmente aplicado. O fascismo behaviorista faz as sondagens e aplica sistematicamente. E a semiotização funciona meeeeeeessssssmo…

  8. Imagina o futuro da ‘reforma da mídia’:só desenhos, filmes e programas com tema ‘social’, aquela famoso clima de concordância e congratulações nos debates, e pior que tudo, proibido de falar em dinheiro e fazer propaganda de produtos…só do governo e de suas realizações…e tudo isso sem poder ver Seinfeld e Friends e outros produtos da invasão imperialista ‘estadunidense’ que torcem nossa cabeça…pra dizer a verdade eu não quero isso não.
    Prefiro um mundo escroto, em que as pessoas embora saibam das manipulações, também têm certeza de que são suficientemente inteligentes para escolher entre seguir o que está sendo dito ou não. Não quero mesmo ser seguidor daqueles que cheios de falsa moral, acham que devem escolher para o povo o que é melhor para ele, como se fossem um bando de superiores.

  9. Caro Dog Soldier,
    O suposto contexto sinistro futurista que você, amedrontado, contraditoriamente se nega, é, na verdade, o contexto atual em que nos encontramos de pensamento único e neoliberal como menciona o Marcelo. Se a democratização dos meios de comunicação não pode se realizar, porque o medo que introjetamos nos encerra num fatalismo escravizante, é que em nossa mente quase não há mais energia para a liberdade. O medo então, venceu.
    Mas, se a intoxicação encontra alguma consciência que resiste, esta, não se acomoda na condição escrava ao medo, mas, reage e cria novas condições de liberdade. Sobretudo na experiência individual e coletiva, em garantir que os meios técnicos e expressivos sejam acessíveis à mais ampla diversidade, serão sempre nossa garantia e segurança.
    Não estamos aqui a clamar e esperar por soluções paternalistas de um suposto Estado-bem feitor, infantilmente. O que está em jogo é, inclusive, o controle social do Estado em não privatizar concessões públicas.
    A luta é para tornar o Estado brasileiro cada vez mais público e sob o controle social!
    Até então, a gestão do Estado tem sido privatista à serviço dos oligopólios da comunicação!
    Esse espaço jornalístico (FM) que estamos publicando, sem censura, o que pensamos, já é indício de que a esperança está vencendo o medo. Vamos avançar e ampliar!
    Abraços.

  10. Valeu pela resposta. Em tempo: sempre leio vocês, desde meus tempos de graduação na UFF. Às vezes concordo, às vezes discordo, mas gosto sempre de ler. Abraço

  11. Excelente texto, como sempre.
    O que me surpreende é a audiência e influência que tem uma emissora de televisão que não faz senão transmitir lixo da pior espécie. Inclusive, e principalmente, em seus programas jornalísticos.
    Há mais de uma década não assisto a nada que é transmitido pela Rede Bobo de Alienação e sua infinita caixa de maldades. Não preciso dela. E aguardo tranquilamente pelo dia em que encerrará suas atividades.
    Nesse dia, nosso país respirará com alívio, acordando de um longo pesadelo.

  12. A mídia no Brasil precisa ser reformulada para que tenham espaço todas as opiniões e não apenas as que interessam aos grupos econômicos. Como está hoje, empresas de mídia como a Globo, Folha, Estadão, Abril, dentre outros, que já tem um candidato à Presidência, tudo farão para elegê-lo, sem dar espaço às opiniões contrárias. Uma denúncia, mesmo que falsa, de um desses veículos de mídia às vésperas de uma eleição, tem um poder devastador sobre uma candidatura. E os prejuízos podem ser incalculáveis. Os que defendem a democracia no Brasil precisam estar sempre atentos a isso!!!

  13. Pingback: UPP e a sensação de (in)segurança « Viagens Alternativas e Aleatórias

  14. Viagens alternativas e aleatórias,
    Concordo plenamente com suas preocupações. As UPPs não são planejadas para se livrar dos bandidos armados e retomar o território ao controle público e social; não há conjugação entre política de segurança pública (militarizada) com programas sociais e serviços urbanos; não há conjugação com o serviço social às famílias e levantamento das condições gerais dos moradores e da comunidade para superar a situação em que se encontravam. Isto, cinicamente, está sendo jogado para um momento futuro quando tudo estiver bem controlado e seguro.
    Cabe então a pergunta: quando?
    Tendo data para entrar mas, não, para sair, e o controle centralizado nas mãos de um comando militar, A vida sócio-cultural e os direitos políticos desses cidadãos passam a ficar sob implacável militarização. Estão sitiados em suas próprias casas; uma prisão a céu aberto.
    A mídia terrorista, faz, na frente, a blindagem nas subjetividades das classes médias amedrontadas, e fora desses contextos, desinformada sobre o que realmente acontece no cotidiano da vida nas favelas.
    O modelo é de guerra preventiva: ocupação militar do suposto território “inimigo” de traficantes varejistas, como se estes fossem inimigos da pátria. Esta simulação de guerra e “heroísmos”, constrói o cenário que, se não barrarmos à tempo, caminhará para o sinistro.
    Em seu blog – http://viagemaleatoria.wordpress.com/2010/04/28/upp-e-a-sensacao-de-inseguranca/
    postei maiores delhes. Interessando os argumentos que apresento, comunique-se comigo.
    Abraços!

  15. OLA PESSOAL PRESTEM BEM ATENÇAO NA CAMPANHA DE SERRA E DAI NÃO VOTEM NELE PORQUE UM CANDIDATO QUE SE PREOCUPA MUITO MAIS EM DIFAMAR SEUS CONCORRENTES POLITICOS DO QUE EM APRESENTAR PROPOSTAS PARA MELHORAR O BRASIL NAO MERECE O SEU VOTO EU IRIA VOTAR NO SERRA MAS DEPOIS QUE ELE DESCAMBOU A FALAR MAL DA DILMA PERCEBI QUE ELE NÃO TEM COMPETENCIA PARA GOVERNAR O BRASIL POIS CASO TIVESSE GASTARIA SEU TEMPO NO RADIO E TV PARA APRESENTAR SEU PLANO DE GOVERNO.
    SERRA OS POUCOS MINUTOS NO RADIO E TV SÃO PRECIOSOS MOSTRE PARA SEUS ELEITORES QUE VALE A PENA VOTAR EM VOCE.
    TODOS QUE LEREM ESSE EMAIL PASSEM ADIANTE E PENSEM 10 VEZES ANTES DE VOTAR EM JOSE SERRA.ESCOLHAM ENTRE DILMA E MARINA”SERRA TEM MEDO OU SEUS ASSESSORES SÃO MUITO INCOMPETENTES”FALAR MAL DE SEUS OPONENTES SO DEIXA CLARO O DESPREPARO POLITICO E A INCAPACIDADE COORDENAR UMA CAMPANHA POLITICA O QUE VÃO FAZER COM O BRASIL ENTÃO?
    PENSEM BEM CAROS ELEITORES.

  16. Alguém aqui recebeu dezenas de e-mails por dia sobre a Dilma? Fora o palco na TV, a Internet também se transformou em uma arma poderosa de espalhar mentira e, principalemente, falta de ética. Só faltou um que tentasse explicar que a Dilma, junto com Bin Laden, planejaram o ataque as torres gêmeas no 11 de Setembro. A falta de tempo privou-os dessa tentativa, ou quem sabe o esgotamento criativo.

Deixe uma resposta